12 hacks de conteúdo avançados para você multiplicar o tráfego do seu blog em 2018

Confira 12 hacks de conteúdo avançado para você explorar em 2018 e levar sua estratégia de conteúdo a outro patamar!

Conquistar boas posições nos rankings do Google e multiplicar o seu tráfego é uma tarefa cada dia mais complicada, não é verdade?

A concorrência só aumenta!

Atualmente, de acordo com os respondentes da Content Trends, 71% das empresas brasileiras já investem em Marketing de Conteúdo. E o mercado tem se tornado cada vez mais educado.

Mas, se você já está se aventurando na área e disputando vorazmente posições mais altas no Google, chegou a hora de dar um passo à frente.

Apesar de ser uma tarefa bem complicada, hoje você vai aprender como pequenos detalhes podem fazer a diferença em uma batalha por uma palavra-chave específica.

Veremos alguns hacks de conteúdo para otimizar os seus posts e aumentar a sua competitividade, elevando o nível dos seus conteúdos para os leitores e buscadores.

Então confira 12 hacks avançados para você multiplicar o tráfego do seu blog e alcançar melhores posições nas buscas.

1. Otimize os seus títulos e ganhe posições nas SERPs com o Google Adwords e Search Console

Esse primeiro hack é um dos meus preferidos. Afinal, foi utilizando essa otimização que melhoramos o nosso título para rankearmos em primeiro lugar para o nome do maior profissional de Marketing digital da atualidade.

Um dos principais fatores de rankeamento são os seus títulos. Mas, muitas vezes, eles são negligenciados pelas pessoas.

Além de apresentar aos buscadores o tema do seu post, o título é o que convence o leitor a clicar e a ler o seu conteúdo.

E nós sabemos a importância de uma primeira boa impressão.

Bom, vamos logo ao ponto. Você quer saber como otimizar os seus títulos e melhorar posições e o seu CTR, não é?

O primeiro passo é acessar o seu Search Console.

Agora vá até a aba “Search Analytics”. Você verá essa tela:

Selecione uma página que você precisa melhorar seus rankings urgentemente. No meu caso, selecionei nosso conteúdo sobre 4 Ps do Marketing.

Depois disso selecione consultas, ali do lado de páginas.

Agora você vai encontrar quais são as principais buscas que as pessoas fazem para chegar até o seu conteúdo.

Quando fiz isso percebi algo interessante. Estávamos rankeando em primeiro lugar para 4Ps, 4 Ps do Marketing e 4 Ps.

Mas não rankeavamos para Mix de Marketing. Foi aí que decidi fazer uma modificação no título. Coloquei a palavra-chave Mix de Marketing no SEO Title e no H1, além de usar essa variação em alguns pontos do conteúdo.

O resultado:

Conquistamos o primeiro lugar para a palavra-chave.

Com esse novo títulos nós:

  • Aumentamos o nosso CTR para a busca “Mix de Marketing”.
  • Mostramos para o buscador que Mix de Marketing era um dos principais termos do texto.
  • Otimizamos o conteúdo para uma variação da keyword que também possui muitas buscas.

Mas não é só isso. Um outro exemplo que gosto sempre de mencionar é o que citei ali em cima quando falei do maior nome de marketing digital do mundo, o Neil Patel.

Quando escrevi o post sobre ele o título era “Quem é Neil Patel: conheça o homem que mudou o marketing”.

É um bom título, concorda?!

Mas acessando o Search Console na época da campanha que ele fez no Instagram (entenda aqui) percebemos que três palavras traziam muitas pessoas para o nosso post:

  • Neil Patel campanha
  • Neil Patel polêmica
  • Neil Patel instagram

Foi assim que cheguei ao título: “Quem é Neil Patel? O homem da polêmica campanha no Instagram”.

O resultado:

Passamos ele para o próprio nome graças à (entre outras coisas) uma otimização do título.

E foi assim que o Neil Patel me ligou:

— Oi André, tudo bom? Já fez o trabalho? Posso copiar?

— Pode sim Neil, só não faz igual!

Ou seja, nosso hack é tão bom, que até o Neil Patel imitou ele!

Google Adwords

Você com certeza conhece os anúncios pagos do Google não é verdade?

Pois saiba que espiar os resultados que estão figurando entre os anúncios pode ajudar você a criar títulos bem melhores e que geram muitos cliques!

A ideia é a seguinte: quem aparece ali está pagando por isso e precisa ter um título relevante e que tenha um bom CTR. Caso contrário o Google não vai querer colocar ele ali.

Vamos analisar os anúncios para a palavra-chave “SEO”:

Perceba como eles usam algumas palavras interessantes e que podem ampliar o seu CTR.

“Faça você mesmo”, “1º lugar nos buscadores”.

Definitivamente essas palavras atraem cliques e no fundo é essa a intenção das pessoas quando procuram por “SEO” no Google. Elas querem aprender a fazer e a rankear em primeiro lugar.

Fiz a mesma busca em dias distintos e adivinhe:

Podemos ver novamente uma tendência de usar esses elementos nos títulos.

Em nosso título, portanto, utilizamos uma chamada com essa ideia, entendendo que essa é a intenção do leitor:

Faz muito mais sentido do que apenas “tudo o que você precisa saber” ou “guia completo e definitivo”. Nosso título já faz uma promessa com elementos que despertam o desejo do público de clicar no nosso conteúdo.

Bacana, não é?

E esse foi só o nosso primeiro hack! Vamos em frente:

2. Como conseguir Featured Snippets do dia para a noite

Você já ouviu falar em Featured Snippets, correto?

São aquelas caixas de respostas que o Google oferece no topo das páginas de resultados, acima da primeira posição orgânica!

E ele pode puxar essa resposta de qualquer um dos conteúdos que estão rankeando na primeira página.

Ou seja, o seu conteúdo pode rankear em décimo e aparecer acima do primeiro colocado!

Eu escrevi um guia completo a respeito de Featured Snippets aqui no blog. Leia! Esse é o tema do momento e você vai aprender a otimizar os seus conteúdos para pegar esses Snippets.

O meu objetivo é passar o hack que usei para roubar um snippet do dia para a noite (consegui um em um intervalo de 15 minutos).

O que você vai fazer:

Primeiro passo:

Para começar, você precisa identificar as oportunidades de Snippets que você tem. Você pode fazer isso manualmente, identificando as palavras-chave para as quais você rankeia na primeira página e buscando o termo no Google para ver se existe um Snippet na página.

A melhor opção, no entanto, é utilizar uma ferramenta que identifique essas oportunidades para você. Vou demonstrar como fazer isso utilizando o SEMrush, mas existem outras ferramentas com essa função no mercado.

Método 1:

Bom, dentro do SEMrush você precisa acessar a sua aba projetos, onde você configura o seu site para análises mais avançadas.

Em caso de dúvidas, leia nosso guia completo do SEMrush.

Dentro dessa aba, você encontrará a opção position tracking.

Nela você terá diversas opções para analisar o seu domínio a fundo, comparar suas posições e tráfego aproximado com os seus concorrentes, acompanhar os seus rankings, fazer uma análise de landing pages e ainda poderá conferir a mais nova funcionalidade, Featured Snippets.

Na aba de Featured Snippets, o SEMrush não mostra apenas os Snippets que você possui, mas também em quais SERPs você tem a oportunidade de conquistar um.

A ferramenta não mostra todas as oportunidades que você tem, mas traz  um volume considerável para você otimizar os seus conteúdos.

Método 2:

O segundo método é o mais simples e vocês vai descobrir todos os Snippets que você já tem e algumas oportunidades.

Como esse método você não será feito dentro de Project, você pode fazer a análise para o seu domínio e descobrir os Snippets que você quer roubar dos seus concorrentes.

Em Domain Analytics, vá na aba overview e escolha um domínio que você deseja analisar. Como exemplo, vou analisar o domínio da Hubspot internacional.

Desça até “Top Organic Keyword” e vá para a análise completa!

Depois disso, vamos precisar fazer um filtro avançado para você identificar as palavras-chave.

Em “Filtro avançados” selecione “incluir”, “posição” e “menor que” e depois digite 11. Isso mostrará os resultados de 1 a 10 na SERP, que é o que nos interessa. Afinal, todo Snippet está na primeira página.

O segundo filtro é: “incluir”, “SERP feature” e “Featured Snippets”.

Pronto! Agora você tem acesso às keywords que o domínio escolhido para análise (no caso, a Hubspot) tem Snippet. Você pode checar o seu domínio e o dos seus concorrentes!

Nem todos os Snippets para as palavras-chaves que tem essa feature na SERP serão seus. Por isso, você pode conferir quais snippets ainda não tem e descobrir oportunidades.

Método 3:

O melhor de todos os métodos é esse. Você vai na ferramenta Magic Tool dentro de Keyword Analytics.

Escolha uma head tail importante para o seu negócio. No nosso caso por exemplo, vamos escolher a palavra “marketing”.

Selecione o filtro Featured Snippets em SERP features:

Agora a ferramenta vai te dar uma lista de TODOS os termos que contém a palavra “marketing” e possuem featured Snippets.

Incrível, né?!

Após encontrar algumas boas oportunidades, vamos ao…

Segundo passo:

Agora que você já sabe quais palavras-chave investir, é hora de identificar o tipo de otimização que o seu conteúdo precisa.

Para isso, entre nas buscas do Google e veja o atual quadro de respostas. Repare em qual tipo de Snippet ele é, lembrando que ele pode ser de parágrafo, lista ou quadro.

Lista:

Parágrafo:

Quadro:

Para aprender a otimizar o seu conteúdo para cada tipo de Snippet leia o guia completo dos Featured Snippets aqui!

O mais importante é adaptar o seu conteúdo de acordo com o tipo de resposta que o Google quer apresentar para os usuários.

Após otimizar o seu conteúdo de acordo com o tipo de snippet, é hora de acelerar o processo um pouco. A otimização de um conteúdo pode ser grande ou pequena e em muitos casos o Google não vai necessariamente reindexar o seu conteúdo imediatamente.

E é aí que vem a grande sacada!

Terceiro passo:

Para conseguir conquistar um Snippet do dia para a noite, existe um processo rápido que você pode fazer. Um dos que eu conquistei demorou apenas 15 minutos!

Apesar disso, não quer dizer que o processo é instantâneo e nem que é uma garantia que você vai roubar o topo de quem já está lá.

Mas se você otimizou o seu conteúdo com as melhores práticas possíveis e com uma ótima resposta, você terá grandes chances.

Para isso, acesse o Google Search Console, vá até a aba lateral e, dentro das opções em “Rastreamento”, você verá “Buscar como o Google”.

Você verá uma opção para colocar as URLs do seu site ou blog.

Por exemplo, vamos supor que eu queria roubar o Snippet para a palavra-chave “Marketing de Conteúdo”. Já otimizei o meu conteúdo de acordo com o Snippet, que é de parágrafo.

Agora vamos buscar pela URL do post.

O Search Console vai identificar o conteúdo que você está procurando. Agora você verá a opção “solicitar indexação”.

E voi lá! O Google vai reindexar a sua página em alguns minutos e verá a sua atualização, o que possibilita que ele identifique a sua resposta como a mais apta para o Snippet daquela respectiva SERP.

Vá acompanhando a página de resultados para ver se você obterá êxito. Acompanhe por algumas semanas. O processo pode ser do dia para a noite, mas também pode demorar um pouco.

Já vivi as duas situações.

Caso não conquiste a caixa de resposta logo no começo, repita o processo com uma nova resposta ainda melhor para aquela SERP, até que você conquiste o tão sonhado Snippet:

Foi com essa técnica que conquistei o Snippet “Marketing de Conteúdo” e de outras palavras das mais importantes e disputadas do mercado, como “Marketing”.

As outras não vou revelar para evitar que você use a minha técnica contra a minha pessoa (hehe).

Vamos em frente que ainda temos muitos Hacks de conteúdo para você multiplicar o seu tráfego e conquistar rankings incríveis!

3. Como (REALMENTE) usar as palavras-chave no seu conteúdo

A palavra-chave é um termo que representa a busca ou a dúvida do leitor.

Um dos principais fatores em uma estratégia de SEO é saber otimizar o seu conteúdo para que o Google entenda que o seu post responde àquela busca feita pelo usuário.

Vamos entender como utilizá-las dentro do seu post para ele ficar perfeito aos olhos do Google.

A primeira dúvida mais comum é em relação ao número de vezes que ela deve aparecer em um texto:

Densidade

Começo esse tópico com uma perguntinha:

Para você, qual a densidade ideal ou a maneira mais correta de usar as KWs nos seus posts?

  • Pelo menos 10 vezes.
  • Uma vez no primeiro parágrafo, uma vez no último, em um heading tag e pelo menos duas vezes no conteúdo.
  • Uma vez a cada 100 palavras.
  • Pelo menos 0,5% do conteúdo precisa ser a palavra-chave.

Se você respondeu a segunda opção, parabéns! Você errou.

Brincadeira à parte, a verdade é que atualmente não existe uma densidade ideal de palavras-chave dentro de um conteúdo.

É claro que utilizar a palavra em uma heading tag e algumas vezes dentro do texto é uma boa prática, mas não é uma regra. Não é isso que vai fazer o seu conteúdo rankear em primeiro lugar.

Bom, se a densidade das palavras-chave não é um fator determinante, o que importa quando pensamos em rankear um conteúdo para uma busca específica? A resposta para essa pergunta é, hoje, um dos principais fatores de rankeamento do Google:

O campo semântico (LSI)

O campo semântico ou LSI (Latex Semantic Index) é hoje a principal forma do Google interpretar a qualidade de um conteúdo.

Observe a seguinte frase:

O tom de vermelho dessa manga está desbotado!

A frase tem um duplo sentido, afinal:

Como o Google saberia do que essa frase se trata dentro de um conteúdo? Pelo campo semântico!

Se a frase está próxima de palavras como “costura”, “tecido” e “roupa” ele saberá que se trata de uma camisa. Já se ela estiver próxima de “suco” ou “sabor” ele entenderá que se trata da fruta.

Ok, esse foi um exemplo simplório. Agora vou mostrar na prática como isso vai interferir no rankeamento das suas palavras-chave!

LSI na prática

Faço aqui outra perguntinha: qual desses dois conteúdos você acredita que rankeará melhor nas SERPs do Google?

Se você respondeu o segundo, parabéns! Você realmente acertou.

Veja bem, para você alcançar o topo do Google o seu conteúdo precisa responder a dúvida da Persona de forma completa. Portanto é praticamente impossível você responder à pesquisa “marketing digital” sem mencionar pilares como SEO e Marketing de Conteúdo.

É a partir dessa análise semântica que o Google interpreta a qualidade de um conteúdo e a qualidade das informações oferecidas.

E temos esse outro exemplo:

Novamente, é a segunda opção que tem a maior possibilidade de rankeamento.

O Google interpreta de forma negativa a repetição exacerbada da palavra-chave (como no caso da primeira imagem). Por isso, é muito mais positivo você utilizar variações naturais da palavra, melhorando a fluidez e leitura do texto.

Separei um exemplo para você perceber a capacidade de interpretação semântica incrível que o Google tem hoje:

Retirada de Backlinko

A busca realizada nessa SERP foi “best playstation 1 RPG” (melhores RPGs de playstation 1).

Naturalmente, o Google destaca as keywords nas SERPs, correto? Mas veja que interessante: na imagem, “Vagrant Story” e “Final Fantasy” estão em negrito!

Isso porque o Google sabe que eles são RPGs de Play 1!

E ele também destacou PS1, sabendo que é uma abreviação de Playstation 1.

É com esse nível de análise semântica que o Google vai indexar os seus conteúdos. Portanto, esteja atento a isso e explore os temas que são realmente relevantes para tirar a dúvida da sua persona.

A tendência é que o LSI seja um dos principais fatores de rankeamento por um bom tempo!

4. Multiplique seu tráfego com palavras-chave long tail

Primeiro aspecto que gostaria de esclarecer é quanto ao conceito de palavras-chave long tail.

Essas maravilhosas ferramentas para gerar tráfego são muitas vezes conceitualmente explicadas da maneira errada.

Você já deve ter ouvido que uma palavra head tail possui 1 a 3 palavras e uma long tail 4 ou mais, mas essa explicação não está correta, embora haja uma correlação.

O termo se refere a palavras-chave específicas! O que determina se ela é ou não head tail é o seu volume de buscas e a especificidade do tema abordado.

Veja esse exemplo:

Quais dessas palavras-chave você acha que é long tail?

Perceba que são as duas últimas! Vitor Peçanha, apesar de ter um bom volume de buscas, é ainda bem específico, já que é relevante apenas para quem está inserido no mercado de marketing digital (por enquanto).

O meu nome então, nem se fala! É tão específico que o volume deve ser 1 — no caso, a busca que eu fiz.

As duas palavras mais longas são exatamente as head tails.

O termo long tail é representado por esse gráfico:

Após explicar — e desmistificar — essa confusão comumente vista, vamos entender como usar essas palavras-chave long tail para aumentar o seu tráfego!

Pequeno volume, grandes oportunidades

Quando vamos escolher as palavras-chave que queremos rankear temos a tendência de nos aventurarmos na briga pelas palavras com um volume alto.

Não há nada de errado nisso, mas muitas vezes esquecemos do potencial que as palavras-chave long tail possuem.

Veja bem a taxa de CTR das palavras head e long tail em uma SERP:

O grande ponto das long tails é que ela são muito menos disputadas! Já as mais genéricas, além de mais disputadas, geralmente a briga está entre grandes empresas do mercado!

Ou seja, quando olhamos para essa imagem logo podemos pensar:

É melhor garantir 30% de cliques de várias palavras com 700 buscas mensais, do que bem menos de 5% de uma palavra com 30 mil.

Veja esse exemplo:

Segundo o SEMrush, temos os seguintes volumes de busca:

  • Mix de Marketing: 2.900
  • 4 Ps do Marketing: 2.900
  • 4 Cs do Marketing: 390
  • 4 As do Marketing: 260

O interessante é que todos os três se referem ao mesmo conceito, o mix de marketing.

Hoje nós rankeamos para todos os 4 termos, mas enquanto batalhamos ferrenhamente pelo topo nas duas primeiras, ficamos em primeiro facilmente para as duas últimas.

Enquanto a maioria dos concorrentes se preocupam com o termo principal, nós rankeamos os outros termos e conseguimos um tráfego interessante desses posts.

Além disso, esses posts fortaleceram o dos 4 Ps, como vou explicar no Hack de posts satélites!

Portanto, atente-se àquelas palavras menos disputadas e começa a construir sua autoridade dessa maneira. Assim, vai ficar muito mais fácil de pegar rankings mais disputados.

E se você já tem um domínio forte e palavras head tail garantidas, pense no tráfego que diferentes long tails podem trazer para você!

Veja quantas oportunidades de tráfego você tem com long tails para a palavra empreendedorismo! Imagine ganhar 30% de cada uma dessas?

Utilize ferramentas como o SEMrush (do print acima), Ahrefs e Keyword Planner para encontrar listas de palavras-chave como essa!

Uma outra ferramenta útil pode ser o keywordtool.io. Apesar de não apresentar o volume (na versão gratuita), você pode descobrir ideias incríveis nela e conferir o volume em outras ferramentas.

Confira esse post com as melhores ferramentas para você fazer uma análise de palavras-chave!

A oportunidade de multiplicar o seu tráfego está ao seu alcance.

Mencionei nesse tópicos os posts satélites, agora vou mostrar como você pode usá-los para multiplicar o seu tráfego!

5. Posts satélites: rankeie para as palavras mais disputadas do mercado

Os posts satélites têm tudo a ver com long tails. Foi por isso que eu os mencionei no tópico anterior e vou explicá-los logo depois.

Essa, para mim, é uma das principais formas de conquistar posições com palavras-chave head tail, além de auxiliar na criação de tópicos dentro de um conteúdo.

Não vou entrar em muitos detalhes sobre a técnica, você pode conferir um post excelente e muito detalhado sobre ela no Inteligência Rock Content!

O conceito é bastante usado em todas as nossas estratégias por aqui.

Essa técnica vale principalmente para conquistar rankings para as palavras mais disputadas do mercado.

Você escolhe um termo essencial dentro do seu mercado que você precise rankear e cria um post completo sobre o tema! Para explicar uma head tail, geralmente são necessárias muitas palavras e muitos tópicos, correto?

Esse será o seu post pilar!

Ele será o grande foco dessa estratégia. Os posts satélites serão criados a partir das long tails e temas relacionados ao pilar. Todos eles linkando diretamente para ele, fortalecendo o conteúdo que visa rankear para a head tail.

Para ficar mais fácil de entender, vamos ver na prática como funciona a estratégia dos posts satélites:

Posts satélites na prática

Para analisar essa estratégia, resolvi pegar uma das palavras-chave mais importantes para a Rock Content, o post que já nos rendeu mais de 2 milhões de reais: “Marketing digital: o que é e TUDO sobre como fazer marketing online”.

Essa é provavelmente a palavra-chave mais importante do nosso mercado e a estratégia de posts satélite foi fundamental para o sucesso desse conteúdo.

Inicialmente, fizemos uma pesquisa para identificar quais outros termos possuíam um volume considerável e que seriam interessantes abordar dentro do conteúdo:

A partir dessa pesquisa identificamos long tails para usar como tópicos dentro do conteúdo e, assim, fazer um post completo abordando os temas mais relevantes sobre marketing digital.

Após fazer o conteúdo completo com todas as long tails e vários conteúdos específicos para rankear para cada uma delas, linkamos os satélites para o post pilar e, dentro do pilar, enviamos links para os satélites.

O pilar fortalece os satélites e todos os satélites apontam para o post principal.

Um outro exemplo é uma kw que rankeamos recentemente: publicidade.

Todos os tópicos que defini para o conteúdo são palavras-chave long tail relacionadas a públicidade:

E cada um desses tópicos virou um conteúdo!

Dentro de “como funciona uma agência de publicidade”, por exemplo, utilizamos termos como “redação publicitária e “planejamento publicitário”. Esses termos  também ganharam seus próprios posts.

E estamos rankeando bem para todas elas (várias em primeiro).

Mas o principal:

Hoje somos o primeiro lugar orgânico para o termo! Ou seja, o post pilar está fortalecido graças aos vários conteúdos satélites de qualidade apontando para ele!

Os posts satélites também estão rankeando muito bem. É muito difícil você conseguir alcançar o topo para todas essas kw com apenas um conteúdo.

Veja esses exemplos:

e…

Portanto, os posts satélites devem ser bem completos e mais detalhados do que o seu respectivo tópico dentro do conteúdo pilar!

Como você pode ver, esse hack traz resultados consistentes.

Mas ainda temos outros tão legais quanto para conhecer!

Sem tempo pra terminar todos os Hacks agora?

Faça o download desse post no formato PDF preenchendo o formulário abaixo:


 

 

 

 

6. Otimizações simples para aumentar o tempo de permanência nas suas páginas

Um dos principais fatores de rankeamento para o Google atualmente é o tempo de permanência nas páginas.

Apesar de não ser um sinal que deva ser analisado sozinho, ele é um dos principais indicadores de qualidade de um conteúdo.

Afinal, se o leitor entra na sua página, passa 10 segundos ali e volta para a SERP para encontrar outro resultado, isso definitivamente não será interpretado como um bom sinal.

Para entender melhor esse fator de rankeamento e por que ele é tão importante confira esse conteúdo completo!

Vamos aos hacks?

*Essas duas estratégias aprendi com o Brian Dean, do Backlinko!

Utilize intertítulos que apresentem benefícios claros!

Que o uso de intertítulos é uma prática obrigatória em blog posts você já está cansado de saber não é verdade?

Mas o problema é que muitas pessoas usam os intertítulos apenas para marcar o início de um novo tópico dentro do texto ou para melhorar a escaneabilidade.

Não tem nada de errado nisso, ambos são funções fundamentais de um intertítulo. Mas se o seu objetivo é manter o leitor engajado no seu conteúdo e disposto a ler até o final, você precisa ir além dessas duas funções…

Quando bem usados, os intertítulos são poderosas ferramentas para manter o leitor preso ao seu conteúdo.

E uma dica fundamental é você utilizar intertítulos que chamem a atenção e mostram um benefício para o leitor realmente ler aquele tópico.

Por exemplo: no hack sobre posts satélites, o intertítulo poderia ser apenas “Posts satélites”, afinal, o tópico é sobre isso.

Por ser um conteúdo extenso, talvez você não tivesse interesse em ler e procurasse hacks que você se familiarizasse. É aí que entra o benefício!

Eu utilizei:

Se você não queria saber o que eram “posts satélites”, talvez o fato de eu prometer que esse hack ajudará a rankear para as palavras-chave mais disputadas do mercado tenha despertado a sua curiosidade.

Se uma pessoa está apenas “passando o olho” no seu texto, um intertítulo chamativo e com uma promessa pode ser o que vai prendê-la ao seu conteúdo!

Pode reparar que usei essa estratégia em quase todos os Hacks desse conteúdo!

E ainda temos outras formas de prender o seu leitor ao seu texto:

Use frases de conexão (bucket brigades)

Se você está se perguntando o que é bucket brigade, creio que nesse caso uma imagem valha mais do que 138 palavras:

Você com certeza já viu isso em algum desenho animado!

Mas o que isso tem a ver com marketing de conteúdo?

Imagine cada hack desse conteúdo como um balde de água para apagar um incêndio de metas na sua estratégia de conteúdo.

Bom, assim sendo, as frases de conexão seriam cada passagem de mãos, mantendo todo o conteúdo conectado até que você chegue ao fim da leitura.

Estou utilizando essa prática durante todo o texto e a frase em negrito acima faz parte disso.

Essas frases servem para atiçar a curiosidade do seu leitor e para mantê-lo interessado no seu conteúdo.

Mais algumas ideias de frases de conexão que você pode inserir ao longo do texto:

  • Mas como você vai usar isso?
  • E sabe qual é a melhor parte?
  • Por que isso é importante?
  • Mas não para por aqui…
  • E como isso vai ajudar o seu negócio?

A fórmula APP

Lembram que eu falei que os títulos muitas vezes são negligenciados?

Muito mais desvalorizados que eles são as introduções! Muitos utilizam essa parte do texto apenas para contextualizar ou para não começar um post sem antes dar uma introduzida no assunto.

Mas uma introdução é muito mais do que isso!

Elas funcionam como um escorregador! Você trouxe o seu leitor até aqui e é na sua introdução que ele vai decidir se ele vai descer por todo o seu conteúdo ou voltar pela escada que o levou até ali.

Se a descida não for segura e confiável, dificilmente ele vai se aventurar. A mesma máxima funciona para um post.

A introdução é o momento que você ganha o seu leitor e o convence que o seu conteúdo, independente do tamanho, vale a pena ser lido até o final!

E para fazer uma excelente introdução, utilize a fórmula APP, que significa “Agree” (concordar), “Promise” (promessa) e “Preview” (prévia).

Vou ensiná-la mostrando uma introdução do blog na qual usamos a fórmula APP. É a introdução do nosso post sobre SEO (que está na primeira ou segunda posição do Google, dependendo do dia que você buscar).

Perceba que no primeiro trecho nós concordamos com a dor da persona! Se ela quer aprender sobre SEO, com certeza quer chegar ao topo do Google.

Dessa forma geramos uma conexão com ela, afinal, ela sabe que entendemos a dor dela.

No segundo trecho em destaque, eu faço uma promessa! Eu conto para o leitor que existem sim,grandes chances dele alcançar o topo do Google. Dessa forma, consigo despertar  o interesse dele em ler todo o conteúdo.

E, para garantir que ele leia todo o conteúdo, eu faço uma prévia mostrando os pontos que vou abordar para ensiná-lo a alcançar os resultados da promessa que fiz anteriormente.

Explicarei quais fatores vão influenciar o rankeamento dele e como ele executará uma estratégia de SEO para alcançar os resultados que ele procura!

Bacana, não é?! Se você reparar, utilizei a fórmula APP na introdução desse conteúdo que você ora lê! Consegue identificar cada um dos elementos lá?

7. Crie suas próprias palavras-chave

Este Hack pode parecer um pouco estranho, Mas ele traz boas oportunidades para você, além de possibilitar que você dite tendências dentro do seu mercado.

A ideia é criar palavras-chave que façam sentido para o seu público ou para o seu mercado.

Pode ser uma fórmula, como o Brian Dean fez com a Fórmula APP (que ensinei nesse post), pode ser o nome de um fenômeno que está acontecendo no seu mercado ou até a apropriação de um termo em outra língua.

Temos um exemplo disso aqui na Rock Content, o Vendarketing.

Vendarketing é um termo que mostra a união dos setores de Vendas e Marketing. Os setores trabalham, praticamente, juntos.

O termo já existia em Inglês, mas o co-fundador da Rock, Vitor Peçanha, decidiu criar uma adaptação para o português. Foi assim que surgiu o Vendarketing.

E depois disso outras grandes empresas do nosso mercado investiram nessa palavra-chave também, veja:

Isso fortalece o termo no mercado e ele vai se disseminando. Além disso, se ele vier a ter um bom volume de buscas, é bem provável que a pessoa que cunhou o termo esteja na primeira posição.

Evite palavras confusas e forçadas ou fórmulas complexas e de difícil memorização. É extremamente fácil lembrar da Fómula APP, mas praticamente impossível lembrar de CmREV.ROm³H2.

Dá próxima vez que você desenvolver um técnica para o seu negócio, seja de SEO ou uma dieta para perder peso sem cortar chocolate, dê um nome a ela!

8. Faça uma limpeza no blog

Talvez você já tenha ouvido falar nisso, mas em outro contexto. É muito comum lermos a dica de limparmos todos os erros de SEO que encontramos no nosso blog.

Mas esse hack é diferente. A ideia aqui é fazer uma limpeza dos conteúdos que você já postou!

Se o seu blog tem apenas 1 ano ou menos, você ainda não precisa fazer isso.

A ideia aqui é simples. O seu blog provavelmente possui conteúdos que são um peso morto ali dentro.

Tenho certeza que se o seu blog possui 2 anos ou mais, os conteúdos que você posta hoje são bem melhores do que os que você postava quando começou. Daí a necessidade de atualizar posts.

Mas você provavelmente vai encontrar conteúdos que não geram nenhum valor para o seu blog, ou que geraram por um certo período, mas hoje estão absolutamente perdidos e sem utilidade no seu blog.

Esse conteúdos, além de pesarem o seu blog, podem dar um mal sinal para os buscadores. Afinal, um site que possui vários conteúdos sem relevância e que não recebem visitas deve ser um site ruim.

Esses conteúdos podem ser uma âncora (te afundando e te estagnando no mesmo lugar) no seu blog e você nem está percebendo.

A melhor parte:

É bem fácil corrigir isso!

Primeiro você precisa encontrar conteúdos que nos últimos 3 meses (ou em um intervalo um pouco maior) não geram nenhum valor e nem levaram visitas para o seu blog.

Vá na aba comportamento do Google Analytics

Vá em “todas as páginas” ou “páginas de destino”. Páginas de destino revela as sessões que foram iniciadas no seu blog pela página analisada.

“Todas as páginas” vai apresentar as visualizações que a página recebeu. Ou seja, o visitante entrou no seu blog por um post, mas visitou outros posteriormente.

Para o exemplo usarei visualizações.

Selecione um intervalo de pelo menos três meses para fazer essa análise.

Você encontrará URLs como essa:

Foram 4 visualizações de página nos últimos 4 meses. Visitei a página e o conteúdo é muito antigo.

Caso não seja pertinente a atualização, exclua o post e faça um redirecionamento 301 para um post relacionado ou para o Home do seu blog.

Mas, se for uma palavra-chave interessante, atualize o conteúdo e entenda porque essa página não recebe visitas.

Você pode também conferir os posts mais antigos dentro do seu WordPress (ou seja lá qual CMS você usar). Selecione essas URLs e confira dentro do seu analytics o número de visitas que ele recebeu nesse período.

Isso é importante porque o Analytics não vai mostrar o conteúdos que não tiveram nenhum acesso!

Nota: alguns posts podem ser sazonais e possuir valor em Social. Você pode redivulgá-los ou reaproveitá-los de tempos em tempos. É fundamental pesar essas possibilidades antes de limpar o seu blog!

Hack Bônus no meio do texto! Pensei nele agora (enquanto escrevia)

Talvez esse intertítulo não faça muito sentido, mas enquanto fazia a busca dentro do nosso blog para dar um exemplo de post sem visitas, inventei um excelente hack para você usar no seu blog.

Enquanto procurava pelo post vi várias URLs com esse formato:

Essas URLs representam buscas que foram feitas dentro do nosso blog! A URL pode variar de acordo com cada blog. Alguns ficam “?q=”, por exemplo.

Faça uma busca interna e confira a URL de busca do seu blog.

Depois, ainda dentro de “todas as páginas” faça a busca: /?s= (ou a marcação específica que estiver na sua URL).

Dessa forma, você vai encontrar as buscas que as pessoas fazem no seu blog. Isso vai mostrar:

  • os temas que a sua persona quer aprender;
  • novas palavras-chave que você ainda não abordou;
  • dúvidas que você pode responder;
  • temas que você precisa abordar mais no seu blog

Por exemplo:

O termo CRM foi buscado 55 vezes dentro do nosso blog nos últimos meses. Isso demonstra uma necessidade de abordarmos mais o tema no nosso blog, pois é de grande interesse da nossa persona!

Final do hack bônus! Curiosamente ele tem tudo a ver com o nosso próximo Hack (prometo que não foi intencional), no qual falarei as melhores formas de evitar uma saturação de palavras-chave!

9. Saturei minhas palavras-chave, o que fazer?

Um dia me perguntaram:

“O Marketing de Conteúdo já tem mais de 1.500 posts, como vocês fazem para continuar encontrando novas palavras-chave?”

Essa dúvida é extremamente pertinente e relevante dentro do nosso mercado!

Muitas pessoas com mais de 2 ou 3 anos de blog começam a ter essa dificuldade e agora eu vou passar as melhores formas para você descobri como encontrar novas palavras-chave para o seu blog.

Use o Hack Bônus

Como eu falei, o hack bônus tem tudo a ver com descobrir novas palavras-chave. Encontre as buscas inusitadas que fizeram no seu blog e confira se vale à pena investir nelas.

Por exemplo, me deparei com a surpreendente busca:

Nós temos conteúdos sobre o tema, mas caso não tivéssemos, seria um ótimo aviso para passarmos a ter.

11 poderia ser o número de clientes perdidos que tivemos na área de saúde nos últimos 3 meses.

Espie os seus concorrente

A melhor maneira de descobrir quais kws usar é olhando aquelas que o seu concorrente usou e você ainda não!

Temos um post sugerindo as melhores ferramentas para você não perder nada que o seu concorrente está fazendo.

Geralmente utilizo o SEMrush.

Jogo o domínio de um concorrente no domain analytics e vejo uma análise das principais palavras-chave deles.

Confira aquelas que são pertinentes para o seu blog e comece a produzi-las.

Espie os seus concorrentes diretos, mas não deixe de visitar outros grandes players do seu mercado.

O exemplo que dei é da Hubspot, que não é um concorrente direto, mas sempre me traz várias ideias e insights.

Um exemplo disso é o clássico: como usar excel (peguei da Hubspot americana) que hoje é um dos posts mais visitados do blog.

Se você não possui nenhuma ferramenta, visite o blog dos concorrentes e passe um tempo navegando por ele. As oportunidades de palavra-chave estarão espalhadas por lá!

3. Espie blogs gringos

Essa sugestão é basicamente idêntica à anterior. Em vez de visitar concorrentes e outros influenciadores do seu mercado, confira os blogs gringos.

Você pode fazer isso da mesma maneira, utilizando uma ferramenta como o SEMrush ou visitando blogs relevantes no mercado.

Temos outras ótimas maneiras:

4. Autocomplete e buscas relacionadas do Google

Se tem alguém que entende de palavras-chave é o Google. E ele pode trazer insights incríveis para você.

Primeiro utilize o autocomplete.

O Google pode trazer vários insights que você sequer havia cogitado para o seu blog.

E não pare por aí! Veja como as buscas relacionadas são completamente diferentes do Autocomplete:

E se você utilizar termos mais longos, o Google poderá apresentar diversas palavras-chave long tail que os seus concorrentes ainda não estão investindo:

Não temos um post sobre marketing na odontologia. Pode ser uma oportunidade!

5. Utilize ferramentas de palavras-chave

Essa é a dica mais óbvia.

Use e abuse das ferramentas de palavras-chave. Elas são uma das melhores amigas de quem investe em conteúdo.

Temos várias opções para você se divertir:

  • SEMrush (em especial o Keyword Magic Tool, a mais completa que já vi para encontrar long tails).
  • Keyword Planner.
  • Ubersuggest.
  • Answers The Public.
  • keywordtool.io.

Confira uma lista com várias outras aqui!

6. Visite fóruns, grupos e sites de perguntas e respostas

Quer saber as principais dúvidas que a sua persona tem?

Visite fóruns e sites de respostas. Ali você encontrará ótimas oportunidades para retirar dúvidas que você nem imaginava que as pessoas teriam.

Os grupos nas redes sociais também são excelentes oportunidades.

7. Escute o seu público

Incentive o seu público a enviar dúvidas para você!

Pergunte a eles qual o tipo de conteúdo eles mais gostam de ler, quais temas eles querem ver no blog, quais temas eles sentem que deve ser melhor explorado etc.

Ninguém melhor do que o seu próprio público para definir quais os melhores conteúdos para aparecer no seu blog.

10. Buzz content: boom de tráfego quando você menos espera

Uma das grandes dicas que você escuta dentro do marketing de conteúdo é: invista em conteúdos evergreen.

E, de fato, é uma ótima dica!

Mas isso não quer dizer que você deva esquecer os conteúdos focados em Social ou em Buzz momentâneo.

Nós o apelidamos de Buzz Content. São conteúdos que investimos para gerar um Buzz momentâneo para o nosso blog.

Usamos em especial 3 tipos de conteúdos:

  • Noticiosos;
  • Sazonais (datas especiais);
  • Posts especiais com foco em Social (posts humorísticos ou com referências POP).

Vamos conhecer melhor esses tipos de conteúdo.

Sazonais:

Aproveitar datas especiais como Natal e Halloween ou eventos que acontecem durante o ano com a Black Friday.

Alguns exemplos de posts sazonais que usamos:

  • Black Friday
  • Dia dos Namorarketings
  • Halloween

Posts especiais:

Os posts especiais são posts com foco em ganhar visualizações e compartilhamentos em Social.

Geralmente fazemos posts de humor, quizzes de conhecimento ou de personalidades, conteúdos focados em cultura pop (relacionados a filmes, séries, cantores famosos).

Estes conteúdos tendem a gerar muitos compartilhamentos e um Buzz momentâneo.

Alguns exemplos de conteúdo:

  • Risarketing: as melhores piores piadas de Marketing
  • Deadpool explica: por que o seu conteúdo é uma m…
  • Quem é você na Liga da Justiça do Marketing
  • Quem é você no Jogo dos Tronos do Marketing
  • O Reino de Marketing da Beyoncé

Posts noticiosos:

Posts noticiosos são extremamente simples de fazer, relevantes para o mercado e tendem a gerar um grande engajamento.

A questão é saber identificar quais notícias são relevantes para o seu mercado e divulgá-las o mais rápido possível.

Alguns exemplos de notícias:

  • Google Primer: Google lança 18 certificações gratuitas
  • Facebook vai impedir que 17 tipos de post virem Ads: confira quais são

Uma das grandes vantagens das notícias é que elas podem ser posteriormente atualizadas e transformadas em conteúdos evergreen.

Por exemplo, a notícia sobre o Google Primer pode ser atualizada e transformada em um post sobre o aplicativo da Google.

Mas a melhor parte você ainda não viu:

Buzz Content nos números:

Nos últimos 3 meses, somando esses três tipos de posts, tivemos mais de 40 mil acessos apenas neles!

Confira os números incríveis da notícia do Google Primer:

Acessos apenas no final de semana em que foi postado

Desempenho do post no Facebook

Além de gerar um alto tráfego para o blog, o enorme engajamento em Social aumenta o alcance orgânico das nossas próximas postagens.

Afinal, o Facebook entenderá que os seus conteúdos são de qualidade e vai querer mostrá-lo para mais pessoas.

E tem mais.

O Buzz momentâneo gerado por esse tipo de conteúdo abre portas para pessoas que nunca ouviram falar no seu blog ter um primeiro contato com ele e, quem sabe, um dia até tornar-se um cliente.

11. Faça links externos e aumente a relevância do seu conteúdo

Quando pensamos em link building e relevância de conteúdos, todo mundo sabe dois dos principais pilares para o sucesso de um post:

  • Linkagem interna bem feita
  • Receber links externos

O que poucas pessoas entendem é que enviar links para sites relevantes pode ser extremamente benéfico para os seus conteúdos.

Muitos enxergam links externos com um certo preconceito, mas eles são importantes e dão um sinal positivo para o Google.

Você pode estar pensando “mas dessa forma eu posso tirar um visitante do meu blog”. E você está certo. Mas isso não é tudo.

Se o seu conteúdo for realmente relevante, o seu leitor não vai se conformar enquanto não finalizar a leitura.

Enfim, vamos entender os benefícios:

Otimiza a experiência do seu usuário

Os links externos são focados no seu usuário.

É uma forma de mostrar para o Google que você está preocupado com a experiência do seu visitante e está enviando-o para conteúdos de qualidade que podem enriquecer a leitura dele.

Embasa informações e dados

Mencionar estatísticas sem fonte é um verdadeiro tiro no pé, por exemplo. Além disso, utilizar conteúdos que foram referência para você pode ser relevante para a sua persona.

O Google vai entender que você está referenciando conteúdos extremamente relevantes e verá o seu texto com bons olhos, afinal você quer oferecer a melhor experiência possível para o usuário, mesmo que ele precise visitar outro site.

Se você está linkando para um conteúdo excelente, isso mostra que você, provavelmente, sabe do que está falando.

Ajuda o Google a entender o seu negócio

Fazer links para outros players do seu mercado e até mesmo para os seus concorrentes podem ajudar bastante o seu blog.

Esses links facilitam o entendimento do Google em relação ao seu negócio e o mercado que você está inserido.

É fundamental lembrar que os links externos devem ser para conteúdos relevantes! Caso contrário, a linkagem pode ser prejudicial e tirar um pouco da relevância do seu conteúdo.

12. O poder dos textos âncora

Saber fazer um bom uso dos textos âncora é fundamental para o sucesso no rankeamento de palavras-chave.

Apesar do nome, os textos âncora são a chave para levar você ao topo do Google, e não para afundá-lo.

Primeiramente, é importante fazer uma distinção entre as âncoras internas e externas.

Internos:

Os textos âncora dos seus links internos farão pouca diferença para os buscadores. Ele interpretará apenas como um caminho para encontrar outro post relevante no seu blog.

Links internos passam relevância para as páginas, porém o texto linkado não terá muito impacto para o algoritmo.

Já o link externo…

Externos:

Os textos dos links que você receberá de outros sites fazem toda a diferença.

O âncora, nesse caso, é uma forma de você dizer ao Google “eu quero que esse post rankeie para essa palavra-chave”. Portanto, o termo linkado será fundamental para o Google determinar o rankeamento da sua página.

Se você não acredita em mim, experimente buscar o termo “clique aqui” no Google e tente compreender o rankeamento das páginas na SERP.

A verdade é que esse é um dos textos âncora mais utilizados.

Esses textos âncoras mostram para o Google que o seu texto responde à busca para aquele termo específico linkado!

Como fazer da maneira correta

Evite usar termos que não fazem nenhum sentido e nem trechos longos, por exemplo: “confira esse post incrível sobre SEO no nosso blog”.

Tente utilizar o termo específico que você rankear.

Mas, não force a barra. Acima de tudo o link tem que ser natural.

Utilize variações desse termo, por exemplo: SEO, Search Engine Optmization, Otimizações para motores de busca etc.

Isso, claro, quando estamos pensando em SEO. Se o seu foco for gerar tráfego, use a criatividade para induzir o leitor a clicar no seu conteúdo.

Por exemplo, você vai ficar muito curioso para saber qual conteúdo está linkado nesse trecho para servir como exemplo!

Meu case

Um case interessante que passei aqui na Rock foi para o conteúdo: “Como criar um blog”.

É um termo absolutamente complexo de se linkar de forma natural dentro de um post. Por isso, muitas vezes o texto âncora era “blog” ou “criar um blog” e “começar um blog”.

Como “blog” foi a âncora mais comum, isso acabou possibilitando um resultado peculiar.

Enquanto estávamos em terceiro lugar para “como criar um blog”, chegamos a ficar em segundo lugar para “blog”!

E a diferença de volume de buscas é enorme:

Portanto, faça um bom uso dos seus textos âncora. Procure linkar o termo específico ou uma variação sem forçar a barra e colha bons resultados!

Conclusão

Já que você chegou até aqui, tenho certeza que os seus resultados em 2018 serão incríveis!

Eu já usei ou uso praticamente todos eles, portanto, esse não é apenas um conteúdo de dicas, mas sim uma lista das estratégias mais importantes que eu utilizo no meu dia a dia e possibilitou resultados incríveis para a Rock Content.

Mas quero ouvir de vocês. Qual desses Hacks foi o seu preferido? Você já utilizou algum deles na sua estratégia?

Qual outro Hack de conteúdo você utilizará em 2018 e pode compartilhar conosco?

Não deixe de comentar! Quero ouvir a sua opinião e os seus insights!

Até a próxima!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − dez =