7 Dicas para Produzir Conteúdos Incríveis e Encantar sua Audiência

Você já sabe que o conteúdo é um dos pilares mais importantes para qualquer estratégia de marketing bem sucedida. Se não sabia, pode anotar agora: o conteúdo é rei. Mas não é qualquer tipo de conteúdo que abrange essa majestade. É o conteúdo de qualidade que representa o pilar sólido capaz de sustentar as estratégias de marketing. Mas como manter uma produção efetiva? Como continuar criando conteúdo de qualidade? Continue lendo e confira dicas práticas e adaptáveis ao seu modelo de negócio.

1. Ouça sua audiência

Neste ponto, você já criou conteúdo direcionado, ou seja, voltado para os interesses, as buscas e as dores de sua audiência — também chamada de Buyer Persona ou Persona — e também publicou e distribuiu este conteúdo. Assim, você produziu algo como: blog posts, e-books, infográficos, vídeos, guia especializados, pesquisas, análises, etc.

Então, após criar, publicar e distribuir o conteúdo ouça o que sua audiência tem a dizer sobre ele. Qual a opinião dos seus leitores? Eles acharam seu conteúdo interessante? Como sua Persona reagiu ao seu material?

Para obter as respostas, observe os comentários em blog posts, redes sociais, publicações em formato de vídeo, e-mails, etc.

Atente-se não apenas aos elogios, mas também (talvez principalmente) às críticas e novas dúvidas que sua Persona apresentou após a publicação deste determinado conteúdo.

Depois, analise o que é mais relevante e o que pode se transformar em um conteúdo de maior qualidade. Em seguida, produza um novo material baseado no que sua audiência comentou.

2. Reaproveite os conteúdos mais populares

Essa estratégia é muito comum em um programa ativo de Marketing de Conteúdo. Reaproveitar o que traz resultado é uma ótima maneira de continuar produzindo materiais valiosos.

No entanto, não confunda reaproveitar com clonar. A ideia é reciclar os conteúdos mais consumidos pela sua audiência, ou seja, aqueles com mais visualização, visitas, comentários, compartilhamentos e reações, e transformá-los em um novo tipo de material, abordado de maneira diferente.

Desta forma, você pode, por exemplo, reutilizar um blog post para produzir um e-book, incrementando-o com conteúdo mais aprofundado e trazendo informações inéditas e específicas.

Da mesma forma, você também pode pensar em transformar um guia especializado em um vídeo explicativo, ou uma vídeo-aula.

Assim, você mantém a frequência e, o principal, a qualidade da criação de conteúdo.

3. Utilize ferramentas para descobrir conteúdo

Está difícil de ter novas ideias de conteúdo? Você pode utilizar ferramentas para descobrir os assuntos mais pesquisados pelos internautas. Confira algumas:

  • Google Tends: mostra as tendências e visualizações mais recentes no Google;
  • Buzzsumo: indica os posts mais populares na web, de acordo com uma frase ou termo;
  • Quora: site com perguntas separadas por tópicos. Ótimo para conhecer as principais dúvidas de determinado público;

4. Otimize seu conteúdo para sites de busca

É impossível falar de conteúdo de qualidade e não mencionar a otimização para mecanismos de busca, o famoso SEO.

As técnicas de SEO fazem parte do esqueleto do conteúdo valioso, pois são através delas que os usuários encontrarão este conteúdo em suas pesquisas em sites de busca.

Portanto, atente-se às melhores práticas de otimização, evite erros que podem sabotar seus rankings, aprimore sua pesquisa de palavras-chave, utilize as que têm maior índice de busca e que podem trazer mais retorno para seu material e priorize a experiência do usuário.

Não se esqueça: sua prioridade deve ser sempre fornecer o melhor ambiente para o visitante. Portanto, as estratégias de SEO devem se submeter à experiência do usuário, e não ao contrário. Ou seja, não exagere quanto ao uso de palavras-chave, negrito ou intertítulos demasiadamente extensos devido ao uso de termos chave.

Assim, para saber se suas páginas estão devidamente otimizadas para motores de busca, utilize ferramentas completas de SEO. Desta forma, você saberá o que deve ser ajustado em suas páginas e poderá criar um conteúdo de qualidade e bem posicionado em sites como o Google.

5. Consuma seu próprio conteúdo

Você é um fan do seu material? Se ainda não meditou sobre isso, tire um tempinho para refletir sobre o assunto.

Para entender como seu programa de marketing deve funcionar você precisa pensar como sua audiência. Para isso, nada melhor do que ser a sua própria audiência, ou seja, consumir seus próprios conteúdos.

Leia seus blog posts, e-books, infográficos, suas pesquisas, guias, análises e assista a seus vídeos como quem deseja consumir essa informação, não apenas como o criador de conteúdo.

Seja um apreciador do seu nicho. Isso lhe trará mais ideias sobre o que produzir e sobre o que funciona melhor em sua estratégia.

6. Consuma todo tipo de conteúdo

Todo produtor de conteúdo deve ser um aprendiz insaciável. Isso significa que, para continuar produzindo conteúdo de qualidade, você deve buscar consumir todo tipo de conteúdo.

Assim, você se atualiza, se inspira, conhece melhor o comportamento do consumidor, descobre novas tendências e também aprende o que não fazer. Afinal, não existe apenas conteúdo bom na internet, não é mesmo?

Então, leia de tudo e tire o melhor de tudo o que consumir. Isso influenciará bastante na hora de criar conteúdos relevantes.

7. Acompanhe blogs especialistas em seu nicho

Aprenda com os especialistas de seu nicho. Acompanhe constantemente os blogs com autoridade nos assuntos pertinentes ao seu seguimento. Para isso, cadastre-se em newsletters, participe de grupos de discussão, poste comentários com suas dúvidas e opiniões.

Isso será uma escola para você, um canal constante de instrução e inspiração para a criação de conteúdos originais. Assim, você estará cada vez mais apto a produzir novos materiais de qualidade, aumentando cada vez mais a autoridade de seu site.

Dica extra: Acompanhe as atividades dos concorrentes

Monitorar concorrentes faz parte da rotina de todo produtor de conteúdo. Isso ajudará você a conhecer as últimas tendências do seu nicho, atualizar-se sobre o que seus concorrentes estão publicando e como o mercado está reagindo sobre isso. Assim, você poderá planejar estratégias mais eficientes, ficar sempre à frente dessa competição e conquistar a atenção de sua audiência.

E, para acompanhar as atividades dos seus concorrentes, você pode utilizar ferramentas específicas, como o SEMrush.

Com o SEMrush, basta digitar a URL do site concorrente e a ferramenta envia para seu e-mail dados completos sobre a atividade de sua concorrência, como: informações sobre tráfego, palavras-chave, anúncios, entre outras.

Confira outras ferramentas para monitorar seus concorrentes:

  • Google Alerts: envia relatórios para seu e-mail informando quantas vezes seus concorrentes foram mencionados na internet. Também é possível monitorar palavras-chave;
  • SocialMention: mostra tudo o que está sendo discutido sobre um termo, uma determinada empresa ou uma palavra-chave, indicando todas as menções em blogs e plataformas sociais. Você pode se cadastrar no feed de RSS de um determinado termo e receber sempre novas menções sobre ele;
  • SimilarWeb: mostra insights para qualquer site ou aplicativo. Você pode inserir a URL de seu site e compará-lo com a URL dos concorrentes.

Assim, observando as publicações e atividades de sua concorrência, você tem noção sobre qual conteúdo produzir e o que funciona melhor em seu nicho, além de poder avaliar medidas para se destacar no mercado e vencer os concorrentes.

Conclusão:

Criar um programa constante de criação de conteúdo de qualidade não é uma tarefa fácil. Mas, aqueles que conseguem, desfrutam de benefícios como: gerar tráfego qualificado para o site, aumentar o tempo que o usuário fica em uma página, gerar mais leads, ter melhor posicionamento em motores de busca, entre outros. Então, persista nesta nobre tarefa e continue produzindo conteúdo de qualidade para sua audiência. Sua dedicação será recompensada, acredite.

Gostou? Então compartilhe com seus amigos! Deixe seu comentário e nos conte o que achou das dicas. Sua opinião é muito importante!

Micro-Momentos: A nova campanha do Google e a importância da semântica em SEO

Não é de agora que o comportamento de qualquer usuário é dar um Google para tudo, não importa qual for o assunto, seja ele entretenimento ou dúvida técnica.

A receita dessa mudança é simples: junte esse comportamento ao aumento absurdo de smartphones conectados à internet em todas as classes sociais.

Aqui no Brasil a internet já ultrapassou todas as outras mídias em termos de quantidade de tempo gasto por dia. Esses acessos vem de laptops, celulares, tablets, desktops, relógios, Smart TVs. Isso exige dos buscadores, principalmente do Google, uma inteligência absurda, pois em cada dispositivo o usuário está em um determinado momento do seu dia.

Exemplificando rapidamente: quem nunca foi para uma reunião ou compromisso e buscou informações sobre a empresa pelo laptop e no caminho buscou pelo celular informações sobre o local? Esse comportamento bem específico de buscas é o que o Google chama de Micro-Momentos.

Micro-moomentos

Atento a isso tudo, Google possui um algoritmo focado nisso, que é o Hummingbird (lançado em 2013). Ele tem por função apresentar resultados que vão além das palavras-chave buscadas pelo usuário.

O Google passa então a levar em conta o campo semântico do termo pesquisado, o contexto da busca e a relação desta busca específica com as pesquisas passadas feitas pelo usuário.

O que isso impactou na vida do usuário?

O Google passou a entregar SERPs extremamente adequadas ao contexto e ao histórico de busca do usuário.

Exemplificando mais uma vez: Quem nunca se sentiu espantado com como o autocomplete do Google adivinha exatamente o que você pretende buscar?

Para o usuário isso foi ótimo, pois fortaleceu ainda mais o comportamento de dar um Google para qualquer coisa, afinal, o Google é visto como o oráculo e informação correta ao desejo do usuário não faltará.

Como o Google usou isso para fortalecer o foco no usuário?

No Brasil temos mais de 3 bilhões de sites publicados, entre eles temos blogs, lojas virtuais, sites institucionais e portais. Em compensação, no ano passado o número de internautas passou de 100 milhões.

Dados esses números, fica claro que o volume de informação é maior que o volume de usuários, portanto é natural que boa parte desses sites publicados queiram ranquear para termos chave para eles.

Entretanto o Google preza pela boa experiência do seu usuário e leva em conta exatamente os micro-momentos que falamos acima.

Dessa forma, qual é ação lógica deles para priorizar a melhor experiência possível para o usuário?

Se o Hummingbird leva em conta o histórico e contexto da busca, porque não exibir a resposta na SERP e evitar que o usuário tenha um problemão em buscar o que deseja em vários sites perdendo um tempo precioso do seu dia?

BINGO… Foi exatamente o que foi feito!

SERP para sintomas da dengue

A imagem acima demonstra exatamente uma busca sobre os sintomas da dengue feita no Desktop. Vejam que mesmo que tenha posicionado páginas no topo da SERP, na direita foi entregue exatamente o que foi procurado, assim como tratamentos.

SERP mobile para sintomas da febre amarela

Nesse outro caso, a busca foi feita em um smartphone e o destaque para a resposta na SERP foi ainda maior.

Afinal, o smartphone é um dispositivo móvel e se o usuário busca por ali, ele deseja uma resposta mais rápida e adequada ao dispositivo (em um smartphone não temos como abrir várias abas e navegar entre elas tranquilamente rsrs)

Como disse no início do post, o comportamento de dar um Google também se aplica a assuntos mais técnicos.

SERP para o que é SERP

Como faço para aparecer em destaque na SERP?

Assim que conteúdos começaram a ser exibidos diretamente nas SERPs, muitas empresas e profissionais de Marketing passaram a almejar esse resultado de qualquer jeito.

Como vimos acima, o Google leva em conta diversos aspectos na hora personalizar a SERP e um deles é o aspecto técnico. Não basta apenas ter o conteúdo e pronto. O site precisa ser preparado para exibir os resultados na SERP de forma inteligente.

O principal responsável por isso são os dados estruturados ou rich snippets, que são marcações (microformats e RDFa) feitas no código das páginas de um site.

Essas marcações geram as informações extras que vão para a SERP.

Alguns tipos de Rich Snippets suportados pelo Google são:

  1. Resenhas
  2. Pessoas
  3. Produtos
  4. Autores
  5. Receitas
  6. Eventos
  7. Música
  8. Vídeos

Portanto, um site com um código bem estruturado, com marcações adequadas e conteúdo funcional para o seu público-alvo tende a ter uma probabilidade maior de ter o seu resultado apresentado de forma destacada na SERP em comparação a outros sites.

Google: Interpretação Semântica

Se Google exibe resultados estendidos na SERP e sabe que o Brasil tem uma diversidade cultural absurda, como ele interpreta o português do carioca, do paulista, no nordestino com expressões peculiares de cada um?

Ele resumiu isso lindamente em sua nova campanha “Dá um Google” apresentando no vídeo pessoas justamente realizando pesquisas justamente nos micro-momentos (veja abaixo um dos vídeos da campanha).

O vídeo acima apresenta um típico micro-momento de qualquer casal,  que é a ida ao cinema sem comprar ingresso antecipado.

Ainda assim o Google vai longe nessa interpretação semântica.

Se levarmos em conta o apelido de alguns clubes de futebol ou até mesmo algumas formas carinhosas que torcedores chamam os clubes rivais, o Google já entende.

Vejamos alguns exemplos:

SERP para próximo jogo do fogão

Uma curiosidade nessa SERP é que não existe nada de fogão de cozinha!

Como o buscador consegue interpretar que estou falando do Clube Botafogo de Futebol e Regatas sem usar o nome dele?

SERP para próximo jogo do pó de arroz

O termo pó de arroz é amplo e além da SERP apresentar um resultado rico com o próximo jogo, todos os demais links são relacionados a torcida do Fluminense e ao histórico do jargão pó de arroz.

Isso é um avanço brutal em termos de interpretação e usabilidade do Google. O Hummingbird tem boa colaboração nisso mas as demais atualizações do Google colaboraram também nos pequenos detalhes.

Nós, enquanto profissionais de Marketing estudamos e monitoramos essas atualizações e como elas podem afetar o nosso trabalho. Enquanto isso, o Google vem estimulando os usuários comuns a serem cada vez mais eles próprios nas buscas, como você pode ver no mobiliário do Google na estação do Metrô aqui no Rio de Janeiro.

Último jogo do flamenguis - dá um google

Próximos passos para nós do Marketing Digital

Em tempos de SERP personalizada e Google investindo pesado em experiência do usuário com o Hummingbird, Rankbrain e demais atualizações, o raciocínio mais exato de ranquear para o termo x está caindo e dando lugar a uma visão constante de nicho.

Quando falo nicho, falo exatamente em entender os micro-momentos do usuário que pretende atender.  Dessa forma, se pretende ranquear para “comprar produto x”, deve pensar no que vem antes de “comprar produto x” e após o ato da compra.

Assim, abrem-se novas possibilidades de SERP. Imaginem em uma busca por “como usar produto x” ter o manual de instruções de produto como resultado inteligente, da mesma forma que acontece atualmente com receitas.

Antecipe-se ao que pode acontecer, olhando constantemente o Search Console para entender como o seu site é encontrado, não deixe de olhar o comportamento do usuário na busca interna e use e abuse de ferramentas, como o hotjar, para coletar opiniões ricas de usuários do site.

Como Aumentar sua Geração de Leads com Ebooks gratuitos

É muito comum ouvirmos falar sobre a importância da geração de leads nos negócios virtuais e em quais são as melhores estratégias para fazê-lo de modo mais proveitoso. Entretanto, percebemos que poucas pessoas realmente entendem do que trata o tema, principalmente quem está começando agora.

Afinal, você, por exemplo, sabe o que é um lead e qual é a sua importância em todo o contexto do marketing digital?

Não se trata só de investir na atração dos leads. É necessário manter o foco direcionado nos que sejam qualificados e que possam ser convertidos em potenciais clientes para o seu negócio.

Se você nunca parou para pensar nesse assunto ou se tudo isso não passa apenas de conceitos e termos novos, confusos e misturados para você e para toda a sua empresa e equipe de trabalho, não se desespere.

Ao longo deste conteúdo, você encontrará todas as informações que precisa para entender – de modo bem mais profundo e amplo – como funciona a geração de leads. Além disso, vamos falar porque é essencial investir nessa estratégia para ter sucesso e bons resultados no mercado digital.

Vamos também passar dicas e passos importantes para quem deseja investir na criação de um e-book, que hoje é uma das iscas digitais que mais tem dado certo, melhorando muito o fluxo de internautas dentro do seu ambiente virtual.

Por que investir em uma boa estratégia de geração de leads?

Antes mesmo de falar sobre geração de leads, é importante entender a que se refere este termo que é comumente visto e falado quando o assunto em questão é marketing digital e a aplicação de suas estratégias.

Por isso, para começar, vamos explicar um pouco mais sobre leads para que você entenda de uma vez por todas quem podem ser considerados como seus clientes em potencial.

O que é lead?

Lead é uma palavra inglesa que tem como tradução “conduzir”. Entretanto, engana-se quem acredita que o significado de lead para por aqui, com uma simples tradução, pois o conceito é muito mais amplo e vai mais longe do que isso.

No contexto virtual, lead é um usuário da internet que está plenamente ao alcance de uma determinada empresa, marca ou produto.

Em outras palavras, ele é um potencial consumidor que está disponível no mercado e que pode vir a estreitar uma relação com seu negócio a partir dos investimentos nos recursos mais certos que o atraiam e o façam se converter em cliente real.

O lead é o internauta que já entrou na sua página – seja esta um blog, um e-commerce ou qualquer outra categoria – deixou de ser um completo estranho e já é mais que um visitante também por ter começado uma espécie de conversa com seu negócio, ou seja, por ter se convertido em lead.

Essa conversão acontece quando uma pessoa assina para receber as newsletters da página ou simplesmente realiza algum tipo de cadastro, podendo ser este motivado pelo oferecimento de materiais gratuitos, por exemplo.

O importante de saber sobre o lead é que ele é um usuário que tem interesse em saber mais sobre o que você tem a dizer. É por isso que ele deixa suas informações de contato para que você possa ajudá-lo a obter mais informações sobre um determinado assunto.

O que é geração de leads?

A geração de leads é importante uma vez que, a cada novo grupo de usuários atraído, determinada porcentagem realiza fechamentos, tornando-se cliente de cartela.

Quanto maior a geração de leads, maior portanto essa conversão que consequentemente melhora os resultados finais de sua empresa.

Acredita-se que negócios virtuais que não possuem bons índices de conversão estejam justamente errando na atração e na geração de leads. Isso pode ser motivado por falta de investimentos ou devido à má aplicação de estratégias que levem a essa finalidade.

Considerar as etapas do funil de vendas torna-se imprescindível para ajustar as estratégias de modo a obter melhores resultados.

funil de vendas é o caminho pelo qual todo lead passa até transformar-se em cliente real. São quatro as etapas do funil:

  1. Atração;
  2. Conversão;
  3. Fechamento;
  4. Encantamento.

As fases iniciais – a atração e a conversão – devem ser tratadas como iscas, pois elas fazem com que o internauta acesse seu ambiente virtual. Elas devem ainda ser capazes de efetivar a conversão angariando potenciais clientes.

Por que criar um ebook para atrair leads?

Agora que você já entendeu o que são leads e porque é importante gerá-los, vamos te mostrar uma estratégia para que você aplicar em seu negócio.

Criar um ebook e distribuí-lo para que deixou seus contatos em seu site ou blog é uma isca perfeita para a geração de leads. Essa estratégia tem se mostrado muito assertiva e proveitosa nos últimos tempos.

Isso porque, com um ebook, é possível ajudar os visitantes de sua página a resolverem problemas reais disponibilizando materiais gratuitos e completos. Com isso, você gera valor para os usuários, que procurarão por suas soluções sempre que precisarem. Afinal, com o ebook você consegue mostrar que tem autoridade sobre o assunto que está falando.

Apesar disso, é importante entender que tipo de material é esse. Você sabe o que é um ebook?

O que é ebook?

Como o próprio nome sugere, o ebook vem de book, que nada mais é do que livro em inglês. Esse é um material atrativo e interessante sendo o seu diferencial o fato de ser completamente digital. Isso significa que ele pode ser baixado e lido em diversos dispositivos móveis, desde que a pessoa tenha acesso à internet.

Além de ser prático por poder ser acessado de qualquer lugar, o que realmente faz do ebook uma belíssima isca é que ele pode ser oferecido sem qualquer custo para os internautas que buscam solucionar desde situações simples até as mais complexas de seu dia a dia na internet.

Um ebook pode abordar diferentes temas e deve ser criado sempre visando ao público, ao seu cliente ideal, a fim de lhe servir como uma perfeita luva.

Para fomentar a geração de leads no seu negócio, você deve ainda responder aos mais recorrentes questionamentos que os seus clientes costumam fazer.

Esse tipo de material não deve abordar diretamente os produtos e serviços com os quais você trabalha. Antes de tudo, o ebook deve servir como conselheiro, ou seja, um manual nos momentos de maior necessidade do outro.

Quando é viável criar um ebook?

Se você precisa investir na geração de leads, deve estar pensando que finalmente encontrou uma boa estratégia para isso, não é mesmo?

Sim! Você realmente está certo.

Entretanto, vale a pena responder a um questionamento antes de começar a investir nisso: quando é viável criar um ebook?

A resposta para essa questão é simples: quando você tiver feito um planejamento completo sobre como esse material será elaborado, editado e, principalmente, enviado para seus leads. Caso contrário, você só estará perdendo tempo e dinheiro.

Muitos empreendedores investem na criação de ebooks, porém acabam se esquecendo ou até mesmo menosprezando esse planejamento inicial. Com isso, não conseguem atingir as metas estabelecidas, nem se quer ter bons resultados.

Para não fazer parte deste grupo, é preciso atenção e, é claros muita dedicação. Por isso, vamos te mostrar a seguir como você pode se preparar para criar seu material e, assim, conseguir gerar mais leads.

Confira 5 dicas para usar o ebook para sua geração de leads.

1. Encontre um tema atrativo

Associar o tema do e-book com o seu segmento de mercado e com as necessidades do seu público-alvo é a primeira e grande tarefa para a criação de um material desse tipo.

Seu ebook precisa ser atrativo e, principalmente, necessário. Por isso, pense naquilo que os seus clientes têm pesquisado atualmente ou até mesmo converse com alguns dos que já estão na sua cartela de fidelizados para ter ideias.

2. Use uma linguagem que o seu público entenda

Não adianta nada falar da forma mais rebuscada possível se o seu público entende apenas o português claro. Também não é viável falar de modo simplista demais com um potencial cliente que tem amplas formações e preza por algo mais culto.

Saber para quem o conteúdo está sendo feito é um passo importante para não errar na escolha da linguagem, por isso, muita atenção!

O que está sendo dito deve ser compreendido para que a transmissão da mensagem tenha sucesso e seja efetiva.

3. Capriche no conteúdo

Para ter mais sucesso ainda e melhorar o número de conversões, é indispensável também que o conteúdo tenha muito capricho. Por isso, cuide de cada detalhe, desde os capítulos, as concordâncias e principalmente a gramática.

Nada pior do que baixar um conteúdo e, no fim de sua leitura, chegar à conclusão de que você “apenas perdeu tempo”. Esse é o tipo de sentimento que o seu lead não pode ter para que o seu negócio obtenha os resultados desejados, certo? Por isso, atenção!

4. Não menospreze a importância da ilustração e formatação

Além de caprichar muito no conteúdo, também é indispensável investir no visual. O layout do ebook torna o material mais fluido e mais fácil de ser lido, melhor absorvido e mais atraente por quem o baixou.

Usar imagens também colabora com a leitura. Entretanto, é preciso saber exatamente quais imagens utilizar, pois elas devem associar-se ao tema e até mesmo complementar a informação que está sendo dada.

A formatação é outro cuidado que não pode passar batido, uma vez que ela destaca o profissionalismo do material que está sendo disponibilizado.

5. Destaque a gratuidade do material

Por fim, mas não menos importante, para a efetiva geração de leads com ebooks, é essencial, além de tudo o que já foi falado, destacar que o material é gratuito. Isso porque a palavra “gratuito e gratuidade” atraem muito em todos os contextos, inclusive no digital.

Faça páginas de atração para o ebook contando um pouco do que o internauta terá acesso ao baixar esse material. Reafirme sua gratuidade para que eles preencham os formulários, o que ajuda na conversão dos leads e aumenta sua lista de e-mails.

Comece a criar um ebook: saiba mais!

Você gostou desse conteúdo e conseguiu entender qual é a importância de oferecer bons materiais gratuitos quando o assunto é atrair e melhorar a geração de leads dentro do seu negócio?

Se você entendeu que essa é uma boa estratégia, mas ainda não sabe como começar, não se desespere. Aproveite para saber mais sobre como criar um ebook e comece hoje mesmo a se dedicar a essa estratégia.