7 Maneiras Simples e Práticas para Escrever um Ebook de Sucesso

Muitas pessoas querem usar o conhecimento que possuem para ganhar dinheiro online e o mercado digital acaba sendo um dos caminhos mais procurados. E uma das maneiras de começar um novo negócio é compartilhar esse conhecimento em forma de ebook.

Mas essa nem sempre é uma tarefa fácil, já que, para escrever um ebook de sucesso, é necessário uma estratégia sólida e um conteúdo relevante.

E como o mercado digital é extremamente competitivo, é preciso que o seu ebook ofereça algum diferencial para se destacar dos demais.

Se você pensa em entrar nesse mercado e produzir um livro digital para compartilhar os seus conhecimentos e habilidades, continue lendo este texto, Reunimos 7 dicas que vão ajudar você a escrever um ebook de sucesso. Vamos nessa?

O que é um ebook e quais são as vantagens de vender na internet?

Se você é novo no universo digital e quer ter um negócio próprio, talvez se pergunte o que é um ebook ou por que esse formato de conteúdo é tão popular.

O ebook é um livro criado, distribuído e lido de maneira inteiramente digital em diversos tipos de dispositivos, como computadores, tablets, celulares e-readers.

Diferentemente de outros tipos de conteúdo, como blogposts, os ebooks são mais extensos e podem ser acessados sem internet, desde que o usuário faça o download do arquivo.

Esse material é de baixo custo, afinal, não são impressos – ainda que exista essa possibilidade. Sua produção pode ser otimizada – sendo possível até mesmo encontrar templates gratuitos para ebooks na internet – e tem uma boa escalabilidade. Sem falar que é uma ótima estratégia para ganhar autoridade no mercado.

7 dicas para escrever um ebook de sucesso

Fazer um ebook, embora simples, exige planejamento para garantir que o conteúdo tenha qualidade e seja atraente para o público.

Se você quer criar um bom livro digital, confira as dicas que separamos para te ajudar nessa tarefa:

1. Defina seu nicho e sua persona

Ter um nicho é fundamental para toda estratégia no marketing digital. Nicho é a fatia de mercado na qual o seu público-alvo se encontra e onde o seu negócio atua.

Para escolher um nicho corretamente, procure pelos temas que você domina e pelos quais se interessa. Assim, você terá não só mais confiança e autoridade na hora de escrever, mas terá mais prazer ao produzir o conteúdo.

O nicho será constituído de pessoas que serão seus potenciais clientes. Portanto é preciso conhecê-las bem. Aí que entra a persona.

A persona é uma representação do seu cliente ideal, com nome, idade, história, hábitos de consumo etc. Essa representação ajuda a entender melhor quais as necessidades do público e entregar soluções que ajudem a resolver essas dores.

2. Escolha um título atraente

O título é o responsável pelo primeiro impacto nas pessoas. E para que a primeira impressão seja positiva, é preciso criar um que seja atraente e entregue bem o conteúdo a ser explorado no ebook.

Uma das maneiras mais eficazes de construir um título que chame a atenção do seu público é aplicando as técnicas de copywriting. Esse método se preocupa em fazer textos persuasivos que guiem uma pessoa a tomar a decisão de adquirir aquilo que você oferece.

E o título é o primeiro passo para isso. Muitos utilizam números como “3 maneiras para se começar a escrever sobre cinema” ou perguntas “como criar vídeos incríveis sobre cinema”. O que vale é chamar a atenção do seu público de cara para que ele se interesse e baixe o seu ebook.

3. Faça o planejamento prévio

Sem planejamento, nada vai para frente. Toda estratégia por trás de um produto digital envolve muita pesquisa e organização, por mais simples que uma campanha possa parecer.

E assim é para o conteúdo em si. Começar a escrever sem saber o que “colocar no papel” é um erro que pode te levar a não conseguir bons resultados. O ideal é estruturá-lo por tópicos, pesquisar cada um para então começar a escrever de fato.

Pense em estruturas lógicas, com desenvolvimento de texto que faça sentido em uma ordem de leitura. Lembre-se que, por mais atraente que seja o seu título ou outros atributos visuais do ebook possam ser, se o conteúdo não for de qualidade, sua autoridade será difícil de ser conquistada.

4. Dê atenção à identidade visual

E por falar em atributos visuais, não podemos deixar de falar da sua identidade visual. Essa parte é fundamental para que você consiga a atenção do público.

É importante você ilustrar seu material com imagens de qualidade. Alguns bancos de imagens, como Public Domain Photos e o Free Digital Photos disponibilizam algumas gratuitamente, mas você pode investir em outros ShutterStock.

Se o design não for a sua praia, você pode contar com a ajuda de profissionais especializados para criar o layout do seu ebook. Em plataformas como o Workana e 99Freelas alguns profissionais estão disponíveis para executar esse tipo de trabalho e você não deve ter dificuldades para encontrar um que lhe atenda.

Ou então, sempre peça indicação de alguém de confiança. Mas não abra mão de um profissional para realizar essa tarefa! Um bom designer faz toda a diferença no produto final.

5. Não se esqueça da revisão

Escrever é uma árdua tarefa de saber transcrever em palavras aquilo que você tem domínio. Isso requer um outro domínio, que é o de escrever. E por mais que você o tenha, a revisão é fundamental para garantir a qualidade do conteúdo.

Existem algumas técnicas de revisão. Muitas pessoas escrevem tudo para só depois revisar com calma, deixando o texto “de molho” por um certo tempo. Mas revisar seu próprio conteúdo não é garantia de qualidade.

Por isso, tenha um revisor externo, uma pessoa que não conhece o conteúdo produzido, será mais eficaz para identificar incoerências, erros gramaticais e problemas de diagramação.

6. Registre seu ebook

Se você quer escrever um ebook de sucesso e vendê-lo, então é melhor que você garanta a autoria de sua obra. No Brasil, isso é realizado na Biblioteca Nacional.

Registrar o direito autoral é uma forma de garantir que você possa reivindicar seus direitos quando for plagiado ou mesmo se assegurar de que aquilo que você publica não seja acusado de plágio.

Você consegue registar sua obra pelo site da Biblioteca Nacional. Por lá, terá acesso a um ISBN, um sistema que registra os dados de autoria, te dando a garantia que aquela propriedade intelectual seja sua e que você tenha direitos sobre a comercialização dela.

7. Prepare o material de divulgação

Bom, você já tem tudo para produzir um ebook de sucesso. Mas para ser de fato, é preciso fazer com que ele chegue até as pessoas. Para isso é preciso atraí-las.

Você deve utilizar o poder das redes sociais para divulgar sua obra, desde, claro, que seja aderente a realidade de sua persona e de seu nicho.

E para ebooks, ter uma landing pages atraente é fundamental, um local onde você possa atrair seu cliente para adquirir seu produto. Ela precisa instigar a pessoa a adquirir o material com um bom visual e persuasão. Se o seu forte não for construir uma, existem ferramentas online que podem te auxiliar.

O blog geralmente é o caminho mais adequado para hospedar uma landing page, desde que você possua um bom tráfego. Se não for o caso, pense em ter links patrocinados ou comprar tráfego. É um investimento com bom retorno e que alcança muita gente, desde que realizado de maneira adequada.

Venda seu ebook com a Hotmart, Eduzz ou Monetize

Agora que você já sabe como escrever um ebook de sucesso, é preciso um local próprio e eficiente para hospedá-lo e vendê-lo, certo? Então é a hora de escolher a plataforma perfeita para isso.

Se você precisa de ajuda para criar e vender o seu ebook, então entre em contato conosco pelo link abaixo:
>> https://samadhidigital.com.br/contato/

Descubra como fazer videoaulas atraentes e comece o seu próprio curso online!

A educação a distância (EAD) não para de crescer no Brasil e no mundo. Só para você ter ideia, de acordo com Estatísticas da Educação Superior realizadas pelo INEP, 2.108 cursos de graduação a distância foram oferecidos no Brasil em 2017. E o número de matrículas foi de mais de 1,7 milhão nesse mesmo ano.

Não dá para negar que esse mercado é um dos mais promissores no mundo da educação.

Por causa disso, cada vez pessoas resolvem investir nesse mercado e dar aulas online. O problema é que muitas delas sentem dificuldade na hora de produzir videoaulas. Principalmente quando o assunto é gravar e editar o conteúdo.

Mas o que nem todas elas sabem é que gravar vídeos não é tão complicado assim. Existem diversas ferramentas, algumas até gratuitas, que ajudam a fazer videoaulas atraentes com mais facilidade.

Se você já é um professor ou professora, ou planeja entrar no mercado de EAD, precisa aprender a gravar conteúdos em vídeo. Neste post, separamos algumas das melhores dicas para você começar a transformar seu conhecimento em videoaulas incríveis.

Vamos lá?

Como é o mercado de vídeos atualmente?

A nova geração já está crescendo com a cultura de consumo de vídeos ao invés da programação veiculada na televisão.

Antigamente, o espectador poderia assistir somente o que a emissora publicava, no horário previamente definido por cada canal de televisão. Com o passar do tempo, o processo foi se invertendo e agora cada usuário tem o poder de escolher quando e o que irá assistir.

Além disso, muitos dos que ainda utilizam serviços de TV aberta ou à cabo, mantém o uso de uma segunda tela.

É bem provável que você mesmo já tenha utilizado o celular para consumir outro conteúdo enquanto sua televisão estava ligada. De acordo com uma pesquisa feita pelo IAB (Interactive Advertising Bureau), 1 em 5 pessoas consomem conteúdo audiovisual no celular enquanto veem TV.

Ainda de acordo com a mesma pesquisa, 43% dos brasileiros assistem vídeos com mais de 5 minutos através do smartphone.

YouTube é um dos grandes responsáveis por essa distribuição massiva de vídeos. A rede de vídeos abriu muitas portas para novos influenciadores exercerem uma profissão que muitas pessoas almejam ter: a profissão de Youtuber.

Se você fizer uma pesquisa informal com jovens entre 12 e 16 anos e perguntá-los quais os canais que eles utilizam para consumir conteúdo, você perceberá que o Youtube estará entre os primeiros mais citados.

O fato é que existem outras alternativas para explorar o mercado de vídeos, como você pode conferir em nosso post “Como ganhar dinheiro com vídeos na internet – além do Youtube”.

Nós da Samadhi Digital abemos do potencial desse formato, pois observamos de perto o crescimento do mercado de vídeos. E com dados em mãos, afirmamos que os cursos em vídeo estão entre os preferidos dos consumidores de material digital.

Mas, talvez, você ainda se pergunte:

Por que trabalhar com videoaulas?

As videoaulas possuem um formato bastante didático, o que facilita a absorção de conteúdo. Com imagens e som, é possível se aproximar e prender a atenção do aluno, com recursos de fala e edição de vídeo.

Além disso, a dinâmica de uma aula em vídeo faz com que seu aluno se engaje mais com o conteúdo e se lembre mais do que foi ensinado.

Hoje em dia é possível fazer bons vídeos com poucos recursos.

Os smartphones mais modernos já conseguem captar em alta definição, com a qualidade que você necessita para criar um curso online profissional.

No vídeo abaixo, você pode conferir algumas dicas do Daniel, nosso videomaker, para fazer um bom vídeo para disponibilizar online:

Se você já está familiarizado com o universo de cursos online, sabe que o formato em vídeo possui um dos melhores mecanismos para transmitir um conteúdo com clareza e engajar os alunos que te assistem.

Por se tratar de um curso em que pessoas vão pagar para adquirir, você precisa entregar um material de máxima qualidade!

Por isso, além de fornecer um ótimo conteúdo, você também deve proporcionar uma boa experiência ao seu usuário, e isso quer dizer que é preciso preocupar-se com a produção do vídeo em si!

Seja para comercialização ou como material de apoio, desenvolver este produto digital requer algumas habilidades e um pouco mais de investimento, como vamos detalhar a seguir.

Como fazer videoaulas atraentes para vender na internet?

Veja quais são as 9 dicas para fazer videoaulas atraentes e vendê-las:

passo a passo para fazer vídeoaulas

1. Planeje o conteúdo e o formato das suas aulas

Você se lembra daquele professor do colégio ou da faculdade que sabia toda a matéria, mas não sabia passar o conteúdo ou despertar o interesse dos alunos?

Planejar e testar o seu conteúdo antes de disponibilizá-lo pode evitar isso.

Vamos considerar aqui que você já tenha definido o nicho e o assunto do seu curso online, ok?

Então pegue o conteúdo bruto do seu material e crie um plano de aula, dividindo-o em tópicos para cada videoaula.

Quantos episódios serão necessários para passar a informação sem ficar demasiadamente extenso ou cansativo?

Além disso, planeje também como será a abordagem do conteúdo de acordo com o assunto e a audiência que você almeja.

Se o objetivo das suas aulas é dar dicas para montar um negócio, por exemplo, e você pretende atingir um público jovem com espírito empreendedor, ser muito formal e com palavreado complexo pode não ser a melhor forma de atrair esta audiência.

Por isso, adeque o formato da mensagem a quem você quer atingir.

Se você não sabe que tom utilizar, uma pesquisa de personas é o que você precisa para entender mais profundamente quem é o seu público.

Aliás, esse é um dos primeiros passos para criar um curso online. Faça a sua o quanto antes!

Mesmo que você não utilize um teleprompter, você pode montar um roteiro contendo os principais tópicos que você abordar.

O roteiro também lhe ajudará a manter um sentido linear em suas videoaulas, em que cada uma se complementa.

2. Tenha postura de um apresentador/professor

Como você já deve ter imaginado, é necessário ter uma boa desenvoltura em frente às câmeras.

Mas diferente do que muitos pensam, essa não é uma habilidade com a qual você deve nascer sabendo. Existem técnicas para aprender a se sair bem em um vídeo.

Nessa hora a timidez não tem espaço. Se você é uma pessoa mais retraída, é bom começar por esse ponto.

Muito treino e técnicas de oratória serão seus aliados. Aproveite para fazer alguns testes, e analisar como você se sai no vídeo.

Se você tiver um olhar crítico, perceberá que quanto mais treinar e se observar, melhor será sua performance. Você também pode pedir a algum amigo para te avaliar e pontuar o que você precisa aprimorar.

O professor ou o apresentador deve ter familiaridade não apenas com o assunto, mas ser articulado para discorrer sobre ele. Quanto mais você dominar o tema do seu curso, mais natural será sua fala e postura.

E acredite, seus alunos conseguirão sua confiança ou insegurança em relação ao tema, então, estude muito antes de partir para a ação!

Caso não tenha esse perfil, talvez seja melhor terceirizar e convidar um especialista para ser a imagem do seu produto. A empatia com o público será determinante para o sucesso da sua videoaula.

Se você prefere assumir o desafio, seguem algumas dicas:

  • Alguns aspectos de expressão corporal exigem um certo cuidado. Não gesticule demais, pois você pode acabar distraindo a atenção do seu aluno.
  • Caso tenha um sotaque muito marcante, tente contê-lo para não atrapalhar a percepção do conteúdo.
  • Assista a algumas videoaulas antecipadamente para utilizar as dicas de quem já domina estar diante das câmeras.
  • Aqueça a voz e alongue o corpo antes de gravar.
  • Use roupas confortáveis e neutras. É claro que nesse aspecto, você pode e deve, manter sua personalidade, contanto que não desvie a atenção do aluno.

Veja as dicas da Bárbara para se sair bem em frente às câmeras:

3. Monte um cenário

Para montar seu cenário, você não precisa de um estúdio profissional com iluminação de cinema, mas é preciso que esteja adequado às necessidades da sua videoaula.

Quanto menos objetos em cena e mais claro for o ambiente, melhor. Assim você conseguirá voltar a atenção do público para você e para o conteúdo.

Sentado ou em pé, o melhor é encontrar a forma mais confortável e adequada ao tipo de conteúdo.

Você poderá mesclar o cenário físico com alguns assets ou até mesmo screencasts, como vamos falar mais a frente.

O importante é ter um roteiro que englobe todos os recursos visuais que terão em sua videoaula.

4. Prepare os equipamentos necessários

Basicamente, você precisará de um equipamento para produção de vídeo (câmera com cartão de memória), áudio (microfone) e uma boa iluminação.

O equipamento não precisa ser o mais profissional do mercado, mas o que possibilite ótima qualidade para suas videoaulas.

Se você não tiver nenhum material adequado, adquira através de locação ou peça emprestado à um amigo de confiança.

Também será necessário alguém para conduzir a filmagem, verificando se a iluminação está adequada, bem como o áudio.

Em nosso post técnico sobre vídeos, te ensinamos sobre iluminação e qual a melhor maneira de se posicionar no cenário, além de outros detalhes importantes para produzir um material de qualidade. Para acessar esse conteúdo complementar, basta clicar aqui.

A possibilidade de edição facilita bastante, mas quanto mais coeso o vídeo estiver, melhor o resultado.

Se o seu orçamento permitir, conte com um profissional. Verifique se em sua rede de relacionamentos não há um amigo ou conhecido com habilidades nesta área, assim você conseguirá reduzir custos.

5. Edite suas videoaulas

O ideal é ter um editor, alguém que já tenha conhecimento em edição de vídeos e possa incluir os assets para o programa.

Se o seu orçamento não permite a contratação, não se desespere. Na internet você encontra diversas opções gratuitas e com tutoriais para aprender a editar.

Como este post, em que mostramos 9 softwares de edição de vídeos e este tutorial de edição no Shotcut, disponíveis aqui no blog.

Por mais que você esteja ansioso para lançar seu curso, dedique tempo suficiente na edição, pois ela tem papel importante no resultado final do seu material.

Se achar interessante, utilize trilha sonora, mas garanta que a música não está competindo com sua voz.

Caso você seja inexperiente nesse quesito, peça a algum profissional para avaliar seu trabalho quando ele estiver finalizado.

6. Insira assets

Os assets são recursos visuais que podem agregar valor a sua videoaula.

Você pode ter um personagem animado, ícones, box de textos. Essas mídias complementares ajudam a reter a atenção, além de deixar o seu produto digital mais divertido.

Os assets são incluídos já na edição e, novamente, se você não tiver habilidades gráficas para desenvolvê-los é melhor contratar um especialista.

7. Utilize screencast como alternativa

Os screencasts são videoaulas realizadas a partir da gravação da tela do computador.

Você pode mesclar o conteúdo, usando as telas como um complemento, ou até mesmo fazer toda a sua videoaula com esse recurso, mas só utilize essa última opção caso o seu conteúdo precise de muitas demonstrações no computador.

8. Hospede seu curso online

Depois que seu curso online estiver completamente pronto, é hora de disponibilizá-lo para venda.

Muita atenção nesse ponto, pois é importante que você escolha uma plataforma EAD  com todos os recursos necessários para seu negócio funcionar.

Existem ferramentas pagas e aquelas gratuitas, como é o caso da Hotmart, Eduzz e Monetize.

Você precisará, basicamente, de:

  • Um sistema de pagamento confiável: Com um sistema de pagamento confiável você garante que todas as suas transações aceitem integração com várias bandeiras de cartões de crédito e sejam feitas de forma automática.
  • Entrega de conteúdo automática: Assim, quando o pagamento é aprovado, o cliente já recebe o curso para iniciar as aulas.
  • Ferramenta de monitoramento: Com uma ferramenta de monitoramento, você consegue constatar quem são seus clientes, como está a conversão de sua página de vendas e se muitas pessoas estão chegando ao seu carrinho para fazer a compra, mas desistindo no meio do processo. Com esse número em mãos, você pode fazer uma ação para recuperação de carrinho e reativar aquele usuário que abandonou a tela de checkout.
  • Suporte ao Produtor: É importante que a plataforma escolhida tenha um suporte de atendimento à você, o Produtor, caso manifeste alguma dúvida.
  • Suporte ao comprador: Da mesma forma que o produtor precisa de suporte, o comprador pode ter eventuais dúvidas de acesso ao curso online, principalmente se ele não está familiarizado com produtos digitais. Nesse caso, a plataforma deve fornecer esse tipo de informação para que o seu cliente seja atendido rapidamente.
  • Área de membros: Caso você queira organizar suas aulas em módulos, ter um espaço para seus alunos comentarem, inserir conteúdos complementares para suas videoaulas, oferecer certificação e acompanhar o progresso dos seus alunos, você deve buscar por uma plataforma que ofereça uma área de membros. Na Hotmart, você conta com o Hotmart Club, uma área de membros gratuita.
  • Programa de afiliados: Vincular-se a um programa de afiliados é uma ótima maneira de expandir seu negócio, já que você terá outras pessoas promovendo seu curso online.

Esses são alguns dos recursos que você precisa considerar em uma plataforma, principalmente se deseja criar um negócio profissional desde seu lançamento.

9. Divulgue seu conteúdo

Depois que seu curso estiver hospedado em uma plataforma e pronto para ser vendido, é preciso focar na divulgação do seu conteúdo para atrair o público ideal.

Se você já tem sua persona bem documentada, sabe para quem deverá direcionar suas ações e terá uma base para criar seu plano de marketing.

Como comentamos no tópico acima, o Programa de Afiliados já é um bom caminho para começar, principalmente se você nunca vendeu pela internet.

Paralelamente, desenvolva outras ações de marketing digital para aumentar o alcance do seu curso.

Os principais meios de divulgação envolvem redes sociais, email marketing, blog e anúncios pagos.

Para conhecer sobre cada um deles, você pode conferir o post em nosso blog sobre os 5 melhores canais para divulgar produtos digitais. E aprender o passo a passo em nosso curso gratuito sobre o mercado digital, o Hotmart Academy.

Comece a fazer videoaulas e trabalhe ensinando pela internet

As videoaulas devem receber um tratamento especial e diferente de vídeos para Youtube, pois você precisa fazer valer cada centavo pago pelo seu produto.

Se possível, pesquise outros cursos digitais para analisar a qualidade de vídeo, montagem de cenário, edição e efeitos inseridos no vídeo.

Agora que você já sabe o que é necessário para criar videoaulas atraentes, “câmera, luz e ação”!

Lembre-se que um bom planejamento ajudará na redução de custos e na entrega de um material com mais qualidade.

Se você precisa de ajuda para criar o seu curso online, então entre em contato conosco pelo link abaixo:
>> https://samadhidigital.com.br/contato/