Marketing para mulheres: como aplicar essa estratégia em seu negócio

Em um mundo onde as mulheres foram vistas por muito tempo como pessoas inferiores aos homens, a diversidade e igualdade estão ganhando cada vez mais espaço na sociedade. E o marketing para mulheres tem um papel fundamental nessa mudança de comportamento atual.

O marketing digital vem sendo um dos fortes aliados a mudar a percepção do mercado. Com o maior foco na experiência e na identificação dos consumidores, as empresas estão voltando seus esforços para criar ações e campanhas que respeitem a diversidade.

E isso é ainda mais visível nos dias de hoje, onde as mulheres conquistam cada vez mais espaço na sociedade. São muitos os exemplos que podemos ver de mulheres empreendedoras, que começam negócios do zero e transformam o rumo de suas vidas.

Nesse sentido, o marketing para mulheres está deixando de lado muitos clichês e estratégias que outrora faziam sentido. Agora, o objetivo de muitas marcas é diminuir a distinção de gênero e contribuir para a superação do machismo.

Se você tem um negócio e deseja saber como aproveitar o Dia Internacional da Mulher para impactar suas consumidoras da maneira correta, continue lendo este artigo até o fim.

Entenda o Dia Internacional da Mulher

Diferentemente do que muitas pessoas acreditam, o Dia Internacional da Mulher não surgiu como uma data mercadológica ou como uma simples homenagem às mulheres.

A data surgiu entre o final do século XIX e início do século XX, nos Estados Unidos e na Europa. A finalidade do movimento feminista na época, era pautado na luta por melhores condições de vida e de trabalho para as mulheres. Uma situação tão importante e atual, mesmo no ano de 2020.

Porém, foi em 08 de março de 1917 que aconteceu uma das maiores manifestações de trabalhadoras até então. Na ocasião, mulheres russas começaram a reivindicar melhores condições de vida, de trabalho e também pela entrada da Rússia na Primeira Guerra Mundial.

Essa data se tornou emblemática e, em 1970, a Organização das Nações Unidas (ONU) decretou o dia 08 de março como Dia Internacional da Mulher.

A ONU decretou a data como uma maneira de lembrar e alertar a população sobre as conquistas políticas, sociais, econômicas das mulheres em todo o mundo.

Por que fazer marketing para mulheres?

Criar estratégias de marketing para mulheres tem sido comum na agenda de diversas empresas. Mas esse tipo de estratégia não é um mero capricho, mas sim uma necessidade atual.

De acordo com uma pesquisa feita pela agência J. Walter Thompsonem 61% dos lares brasileiros, a mulher é a grande responsável pela decisão de compra, desde artigos pessoais a compras domésticas.

Segundo pesquisa divulgada pelo site Nielsen, somente nos últimos cinco anos, o percentual de riqueza produzido por mulheres cresceu em 25% ao redor do mundo. Além disso, existe a estimativa de que aproximadamente 1 bilhão de mulheres entrem no mercado de trabalho nos próximos cinco anos.

Somente no Brasil, 30 milhões de mulheres são responsáveis por cuidarem de seus lares, principalmente de seus filhos, sozinhas. Nesse sentido, é cada vez mais comum encontrar casos de mães empreendedoras e principalmente, o de mulheres no empreendedorismo.

Atualmente, mulheres desejam ser representadas. Afinal, elas possuem o interesse de consumir produtos que estejam de acordo com seus valores pessoais e que tragam benefícios para suas famílias.

Por isso, quando decidir desenvolver qualquer estratégia de marketing para mulheres, as ações precisarão ser extremamente bem elaboradas.

4 dicas para acertar no marketing para mulheres

Criar uma campanha de marketing para mulheres não é tão fácil quanto parece. Qualquer deslize e sua ação pode soar machista e preconceituosa, ecoando velhos estereótipos de gênero.

Para que você consiga ter sucesso em suas campanhas voltadas para o público feminino, separamos algumas dicas essenciais.

Confira!

1. Conhecer as dores do público feminino

O público feminino possui necessidades e dores bastante específicos. Por isso, para que sua produção de conteúdo converse com as mulheres, você precisa entender o que as clientes esperam da sua marca.

Ponha na balança quais as soluções que seu produto ou serviço oferecem e como eles podem ajudar essas mulheres.

Por isso, é muito importante que você crie personas para o seu negócio. Essa representação da sua cliente ideal pode ajudar o seu negócio a desenvolver soluções pensadas para os problemas que as mulheres enfrentam no dia a dia.

2. Entender que as mulheres não são todas iguais

Apesar das mulheres representarem metade da população e uma das grandes responsáveis pela decisão de compra, é fundamental entender que elas não são todas iguais.

Cada uma possui uma particularidade e necessidades distintas. Por isso, a dica anterior anda lado a lado com esta.

Para ter sucesso ao criar ações de marketing para mulheres, você precisa conhecer a fundo as mulheres que você busca impactar com seus produtos e serviços.

Descubra quais são os gostos, interesses e vontades dessas mulheres. Dessa maneira, você terá mais chances de produzir conteúdos e campanhas menos generalistas e estereotipadas.

O que nos leva para a próxima dica…

3. Fuja de estereótipos

Por muito tempo, foram criados uma série de estereótipos sobre as mulheres: o tipo ideal de comportamento, as roupas certas, os gostos corretos etc.

Quem nunca escutou que meninos usam azul e meninas, rosa? Ou que mulheres são frágeis e interesseiras?

Felizmente, com as recentes conquistas do movimento feminista, esses estereótipos vão, aos poucos, sendo desconstruídos.

Portanto, se você quer ter sucesso com a sua estratégia de marketing para mulheres, precisa fugir dos estereótipos sobre o público feminino.

Mais do que nunca, as mulheres querem se sentir valorizadas, importantes e sem qualquer tipo de rótulos relacionados às suas escolhas ou modo de vida.

Nesse sentido, suas campanhas de marketing precisam valorizar as qualidades e conquistas das mulheres.

E nunca rotule ou faça julgamentos sobre o seu público. Afinal de contas, as pessoas estão cada vez mais conectadas e se o seu negócio publicar qualquer mensagem machista e preconceituosa, pode ser visto com maus olhos pelo mercado.

4. Nunca é tarde para mudar

Se você desenvolveu estratégias equivocadas ou precisa mudar o conceito do seu negócio em relação ao público feminino, repense suas estratégias de marketing para mulheres e não tenha medo de se adequar ao novo posicionamento.

Sempre é tempo para mudar e adotar medidas mais brandas, inclusivas e sem estereótipos.

Um grande exemplo disso são os posicionamentos das principais marcas de cerveja no Brasil. Se em outra época as mulheres eram vistas como “objetos”, hoje elas são respeitadas e valorizadas como consumidoras.

E 2 coisas para evitar

Depois de anotar todas as dicas acima, é hora de conferir o que você não pode fazer na hora de criar sua campanha de marketing para mulheres.

Existem alguns erros que você precisa evitar, como:

1. Apostar no Pink Tax

Um erro que muitos empreendedores e até grandes marcas cometem é criar produtos mais caros apenas por eles serem voltados para o público feminino.

Um exemplo disso foi o lançamento, em 2012, da “Bic for her”, uma caneta supostamente planejada para se adaptar às mãos femininas. A repercussão negativa do caso foi tamanha que a empresa retirou o produto das lojas.

Lembre-se sempre que as mulheres estão atentas e percebem quando algum produto ou serviço está mais caro justamente por ser direcionado ao público feminino.

Não arrisque a reputação do seu negócio por alguns reais a mais no fim do mês e busque engajar o público com conteúdos realmente relevantes e que valorizam a diversidade.

2. Não trabalhe rótulos

Apesar do assunto já ter sido abordado, é sempre importante reiterar a importância de não rotular as mulheres, em hipótese alguma.

Estamos em um universo onde as mulheres possuem poder de decisão igual ou até maior do que os homens. Julgar ou não levar isso em consideração ao traçar estratégais de marketing para mulheres poderá levar sua campanha à ruína.

A importância do marketing para mulheres

Se você quer inovar e se manter competitivo no mercado atual, adotar um posicionamento favorável à diversidade de gênero e às conquistas femininas é praticamente obrigatório hoje em dia.

Lembre-se que, com o poder das redes sociais, o engajamento das pessoas com as marcas está diretamente relacionado às mensagens que elas divulgam. Por isso, qualquer deslize pode colocar em risco a credibilidade do negócio.

Ao traçar ações de marketing para mulheres, desenvolva campanhas onde o respeito, a igualdade e a empatia estejam em primeiro lugar.

Como Vender pela Internet: O Passo a Passo Completo para Sair do Zero

O mercado de produtos digitais tem aberto as portas para muitas pessoas que estão em busca de renda extra ou até mesmo querem mudar de profissão. Isso porque permite trabalhar com o que você gosta e ainda traz algumas vantagens como a possibilidade de trabalhar de casa, ter horários flexíveis e também ser o seu próprio chefe.

No entanto, para ter sucesso nesse mercado, é preciso estudar estratégias de vendas e marketing digital. E, mais do que isso, saber como aplicar este conhecimento de forma eficaz.

Parece complicado? Então calma, que vamos descomplicar. Confira a seguir um passo a passo prático para te ajudar a fazer suas primeiras vendas e descubra como vender pela internet pelos métodos certos.

Escolha seu mercado de atuação

Para dar esse primeiro passo, é importante ter em mente dois conceitos: nicho e micro nicho de mercado.

Nicho de mercado se refere a um conjunto de pessoas que têm necessidades e hábitos de consumo semelhantes. Assim, cada produto se encaixa em um determinado nicho, como beleza, saúde, esportes, educação e gastronomia.

micro nicho de mercado, por sua vez, são oportunidades de negócio dentro dos nichos de mercado. Enquanto o nicho de mercado atinge um público mais amplo, o micro nicho atende um público mais específico e segmentado.

Vamos ver alguns exemplos? Gastronomia é um nicho de mercado, enquanto culinária vegana é um micro nicho. Esporte é um nicho, atividade física para idosos é um micro nicho.

É importante também entender que dentro de um nicho de mercado podem existir diversos micro nichos para serem explorados. E definir um micro nicho é essencial, porque através dele fica mais fácil fazer campanhas direcionadas para as pessoas certas, o que ajuda a alcançar resultados mais rápidos.

Para escolher o seu nicho de mercado, a dica é optar por assuntos que você tem afinidade, conhecimento ou interesse. E também pesquisar se existe demanda para o mercado que você escolheu.

Trabalhe na atração de clientes

Para conseguir vender, é preciso fazer com que os clientes conheçam seu produto. E como é possível fazer isso pela internet? Atraindo pessoas para página de vendas do produto.

Basicamente, existem duas formas de fazer isso, através de tráfego orgânico ou pago. O tráfego orgânico consiste em criar conteúdo de valor e gratuito para atrair pessoas interessadas em seu nicho.

Este conteúdo deve ajudá-las a resolver problemas, trazer benefício e ser útil. O ponto positivo dessa estratégia é não precisar investir dinheiro direto para atrair o público, no entanto é um método que traz resultados a longo prazo.

Já o tráfego pago está ligado a criação de campanhas em sites e redes sociais, com investimento financeiro em anúncios. Essa estratégia traz resultados de curto prazo e ajuda a encontrar os clientes potenciais certos para sua oferta.

Muitas vezes, os iniciantes no mercado de produtos digitais têm receio de investir em tráfego pago. E isso acontece por dois motivos: porque não sabem como fazer ou por medo de não recuperar o que foi investido.

No entanto, este passo ajuda a entender o comportamento dos clientes em potencial e também acelerar os resultados. E, para começar, não é preciso um investimento alto. Com as estratégias certas, é possível alcançar o cliente ideal para fazer suas primeiras vendas.

Otimize suas estratégias

Depois que você começar a atrair clientes, o próximo passo é analisar os primeiros resultados para otimizar suas estratégias e poupar esforços.

Se você optar pelo tráfego orgânico, a dica é identificar os conteúdos com maior engajamento e aqueles que mais levaram pessoas para a página de vendas do produto que você está divulgando.

Assim você consegue criar novos materiais focados naquilo que a sua audiência mais gosta. Além disso, você pode começar a investir em tráfego pago de forma inteligente, com o objetivo de impulsionar seus resultados.

Agora, se você começar já investindo em tráfego pago, a orientação também é analisar os dados. Confira quais anúncios deram os melhores resultados e direcione seus novos investimentos para eles.

Além disso, algumas ferramentas, como o Facebook Ads, permitem que você volte a impactar pessoas que já demonstraram interesse no seu produto. Como alguém que clicou no seu anúncio, chegou até a página de vendas, mas em um primeiro momento não efetuou a compra.

Essa técnica, conhecida como remarketing, alcança ótimos resultados e faz com que você deixe de perder oportunidades de venda. Afinal, a pessoa que já demonstrou interesse no seu produto está mais perto de comprá-lo do que quem ainda não o conhece.

Crie um planejamento de vendas

O último passo é criar um planejamento de vendas. Com ele, você vai ser capaz de aplicar um método para vender todos os dias.

Para isso, é necessário entender os motivos pelos quais as pessoas compram um produto. E existem cinco razões principais: competição, status, inspiração, comunidade e benefícios. Identificar os principais motivos pelos quais seus clientes adquirem o seu produto é essencial para criar estratégias de vendas que convertem.

Quando você descobre as dores do seu cliente, fica muito mais fácil criar conteúdos e anúncios que causem impacto nessas pessoas. Por isso, essa é uma técnica importante que precisa ser adotada por quem quer aprender como vender pela internet.

Jornada de compra

Outro ponto, é descobrir qual a jornada de compra do seu cliente. Ou seja, qual o caminho que ele percorre desde o momento que ele começa a identificar que tem um problema até reconhecer seu produto como uma solução e efetuar a compra.

Esse processo consiste em quatro fases: aprendizado e descoberta, reconhecimento do problema, consideração da solução e tomada de decisão. Para criar uma estratégia eficaz, é essencial saber como agir em cada uma dessas fases, para não fazer sua oferta no momento errado.

Na fase de aprendizado e descoberta, o consumidor ainda não sabe que tem um problema. Então, nesse momento, ele precisa de conteúdos que entreguem transformação ou despertem o interesse, como vídeos e posts nas redes sociais.

Em reconhecimento, ele já reconhece que está enfrentando uma dificuldade e passa a buscar ativamente por conteúdos mais aprofundados. Na fase de consideração, o consumidor já está pesquisando por soluções.

Por fim, na última etapa de tomada de decisão, ele está comparando soluções e preços. E este é o momento certo para fazer a sua oferta.

Ao compreender esse processo de compra do consumidor, você consegue usá-lo ao seu favor. Isso porque dessa forma é possível estabelecer uma conexão com o cliente e quebrar as principais objeções dele em cada etapa da jornada.

Como criar uma landing page para webinar que converte até 64% a mais

Sem dúvidas, o planejamento e a divulgação são duas das principais etapas da estratégia para realizar um webinar de grandes resultados . E é justamente por isso que você deve prestar muita atenção na hora de criar sua landing page para webinar.

Afinal, ela será a página crucial para as pessoas se cadastrarem para assistir ao seu webinário, não é mesmo?

Para pensar melhor nessa página, responda as perguntas abaixo:

  • O que é fundamental ter na landing page para webinar?
  • Quais informações não podem faltar?
  • Como é formulário ideal de cadastro de webinar?
  • Como convencer sua audiência a não fechar a página sem converter?

Não teve as respostas na ponta da língua? Tudo bem!

Pois neste artigo vamos te ensinar a criar uma landing page para webinar, que irá converter até 64% a mais de audiência.

A estrutura básica de uma landing page para webinar

A landing page para webinar não precisa ser repleta de dados ou imagens. Nem nada que tire a atenção do seu cliente em potencial.

Coloque elementos que ajudem a apenas um objetivo: fazer como que se inscrevam em seu evento.

A seguir, veja os pontos da estrutura básica de uma landing page para webinar, para que você saiba como construir a sua.

1. Título da landing page

É bom lembrar que, assim como no mundo real, no virtual, a primeira impressão vale muito.

O título, portanto, tem esse objetivo. O de conseguir captar a atenção do visitante da página e ser um ponto de partida para o relacionamento.

No mundo digital, os usuários recebem muitas informações a todo tempo. A grande concorrência pela atenção do público faz com que seja normal que ele desvie sua atenção do foco original. Por isso, um título impactante precisa estar ali. Mas é preciso ir além.

Um bom título não só causa impacto e interesse instantaneamente como também informa. 

Lembre-se que você tem poucos minutos para passar sua mensagem, antes que sua audiência feche a página e se perca num mar de outras ofertas.

É válido falar que um bom título de uma landing page para webinar não precisa ser mirabolante, tampouco longo. Lembre-se de duas principais características:

  • Atrativo
  • Informativo

Temos aqui, um exemplo de título para webinar que, certamente, chamaria atenção de qualquer profissional que atua na área de vendas. E, paralelamente, informa de maneira clara, qual será o conteúdo da palestra ao vivo.

Título:

“Os segredos para melhorar o seu processo de vendas e fechar 4x mais contratos!”

2. Proposta única de valor

Ao elaborar uma landing page para webinar, é fundamental que você tenha uma proposta única de valor.

Isto nada mais é do que a rápida descrição do que você irá oferecer e porque o seu webinar será um diferencial na vida de quem o assistir.

Este texto, preferencialmente curto, deverá vir abaixo do título, em sua landing page para webinar.

Ele, além de dar informações sobre a sua proposta, também deverá reforçar a ideia de urgência do seu conteúdo. Criando a sensação de que a pessoa não pode perder aquele evento, sob nenhuma hipótese.

Veja como está ficando a nossa landing page ilustrativa, até o momento:

Título:

“Os segredos para melhorar o seu processo de vendas e fechar 4x mais contratos!”

PUV:

“Aprenda a identificar em quais etapas da sua venda você está deixando seus clientes escaparem e como corrigir isso rapidamente.”

3. Conteúdo da landing page para webinar

O conteúdo a ser apresentado na landing page para seu webinar irá falar sobre o tema que será abordado de forma mais ampla.

Ele não deve ser longo, e deve usar as palavras-chaves dos assuntos que serão falados no evento.

Use, também, artifícios de texto, como bullet-points, que ajudarão a sintetizar em pontos, a ideia do conteúdo que será passado.

Por mais que seja abordado um tema mais denso no webinar, é necessário que a landing page seja simples e fácil de ser consumida. Assim, será possível converter com mais rapidez quem está acessando a página.

E este deve ser o foco primordial de uma landing page para webinar.

A nossa landing page, até o momento, está assim:

Título:

“Como melhorar o seu processo de vendas!”

PUV:

“Aprenda a identificar em quais etapas da sua venda você está deixando seus clientes escaparem e como corrigir isso rapidamente.”

Conteúdo:

Vender mais é a ambição diária de todo vendedor. Um profissional dedicado está cansado de saber da importância de um bom processo para não deixar dinheiro na mesa. Mas, se você já tem consciência disso, por que ainda não está vendendo tanto quanto gostaria?

No dia 23/09 desse mês você irá descobrir!

  • Você está REALMENTE criando rapport e construindo confiança desde o 1º contato com o cliente?
  • 5 segredos de um processo de vendas 100% redondo
  • Follow up: você tem feito sem encher o saco?
  • Margem de desconto: a negociação precisa ser boa para ambos os lados

4. Formulário e CTA

Não se esqueça de ter um bom formulário!

É nele que os acessantes de sua landing page se tornarão inscritos para te assistir, ao deixarem suas informações.

O formulário não deve ser invasivo, pedindo informações sobre a vida inteira do usuário. Isso poderá acabar o afastando, pela preguiça ou mesmo receio de repassar tantas informações.

Faça um formulário leve e que demande apenas as informações essenciais. Nada de solicitar informações demais e que não terão utilidade nenhuma para você.

Atente-se ao que você precisa, na etapa de funil a qual o conteúdo do seu webinar está inserido. E peça apenas o que é relevante.

O formulário é útil para que a sua empresa obtenha o contato dos interessados. Podendo enviar lembretes e até mesmo material complementar ao webinar.

Se for uma landing page para webinar que esteja no topo de funil de vendas da sua empresa, é interessante pedir o mínimo possível de informações. Os três itens recomendados são: nome, e-mail e o cargo

Já para uma base mais nutrida, em etapas mais avançadas do funil de vendas, poderão ser solicitadas mais informações, como telefone corporativo.

Outra dica muito interessante é investir em uma landing page com automação inteligente, que já irá completar os campos dos usuários que já estão na base, ajudando na conversão.

5. Informações do palestrante (com foto)

É importante apresentar o palestrante, a quem irá assistir o webinar. E isto já deve ser feito na landing page.

Apresente as qualificações, histórico e quaisquer informações que validem o conhecimento e autoridade do palestrante, acerca do tema do webinar.

Isto ajudará a criar uma conexão do usuário com o webinar, afinal, ele terá a oportunidade de aprender com alguém que, de fato, entenda do assunto.

Se houverem convidados, estes também devem ser apresentados, com um mini resumo sobre ele e suas qualificações sobre o assunto.

Lembre-se dos aspectos visuais da captação de interesse e atenção das pessoas. Desta forma, adicione uma foto do palestrante e, se possível, deixe o link para o LlinkedIn dele. Isto poderá criar uma conexão mais forte e irá gerar mais conversões.

6. Prova social

Nos dias de hoje, as pessoas acabam se ligando a histórias. Então, a empresa, possuindo um case de sucesso ou uma prova social do sucesso, acerca do tema que irá apresentar, deve inseri-la na landing page para webinar.

Isso será o ponto chave para que haja o convencimento do público, sobre a sua autoridade no tema.

Mas nada de sair inventando informações, é fundamental que a prova social seja verdadeira. Se puder a provar com depoimentos e fotos reais, será melhor ainda.

7. Call to action matador

Para ter um call to action (CTA) matador e que irá converter quem acesso a landing page, o primeiro passo é saber quem é a persona. Em seguida, use o seu conhecimento sobre ela, para oferecer o que ela precisa, através do CTA certo.

Se, por exemplo, você quer passar a ideia de que o usuário irá vender mais, após ver o seu webinar, é possível usar um CTA curto e bem direto, como “Eu quero vende mais!”.

Com este tipo de call to action, o usuário tende a ser atraído, já que ele informa tanto a intenção e objetivos que o webinar quer passar a ele, como mexe diretamente naquilo que ele procura para o seu próprio negócio.

Como aumentar a conversão de uma landing page para webinar

Como você viu, a landing page para webinar precisa ser bem trabalhada, em relação ao tema e ao público, para assim, aumentar a conversão.

No entanto, um recurso poderá aumentar ainda mais a conversão de uma landing page. Tratam-se dos vídeos, que podem fazer a conversão escalarem de forma incrível.

Um estudo conduzido pela Wishpond, que automatiza landing pages para grandes empresas dos EUA, demontrou que vídeos na landing page, apresentando o conteúdo e provas sociais dele, podem elevar as conversões em 80%!

Mas, como criar e trabalhar vídeos para uma landing page para webinar? É isto que explicaremos a seguir.

1. Como criar um vídeo para uma landing page para webinar

Os vídeos para uma landing page devem focar em apresentar a ideia do webinar, mostrando os assuntos que serão abordados, quais os benefícios em assisti-lo e quais as provas sociais e cases de sucesso que comprovam a autoridade de quem está oferecendo o webinar.

Este vídeo deve ser curto (por volta de 2 minutos ou menos), mas deve transmitir seriedade a quem o assiste.

Além disso, o vídeo para a landing page deve conter um CTA, chamando quem o assiste a se inscrever no webinar.

2. Adicione um CTA dentro do vídeo

Como você viu, o vídeo é um aliado e tanto nas conversões de landing page para webinar.

No entanto, para que a conversão aumente ainda mais, o vídeo precisa ter o formulário e CTA dentro dele. Para que quem o assista já possa se inscrever no webinar, logo após ser envolvido pelo vídeo de apresentação.

 

Como divulgar seu conteúdo para clientes?

Em tempos de quarentena e de isolamento social, muitos profissionais liberais e donos de pequenos negócios procuram alternativas para inovar e continuar atendendo seus clientes em casa.

Existem milhares de formas para dar continuidade ao seu negócio físico dentro do universo digital.

Neste post, mostramos como você pode aproveitar seu conhecimento e preparar conteúdos digitais utilizando suas aulas presenciais. Existem várias alternativas, como preparar vídeos sob demanda ou fazer atendimento via ferramentas de comunicação.

Se você seguiu nossas dicas anteriores, agora é hora de comunicar a seus clientes as novas alternativas que você preparou para continuar o atendimento da melhor forma possível.

Ah, e fica com a gente até o final, pois temos um convite super especial que irá te ajudar a superar esse momento da melhor forma!

Antes de mais nada: tranquilize seus clientes

O momento atual causa muitas incertezas na nossa sociedade. É algo completamente normal, já que vivemos uma situação atípica, que exige muitos cuidados para lidar com isso da melhor forma.

Todos nós estamos com dúvidas sobre serão os próximos meses e anos. Mas é um momento onde a tecnologia está do nosso lado e é extremamente importante ajudar nossos clientes e outras pessoas, aproveitando seu conhecimento para tal.

Procure sempre reforçar que é uma situação passageira e como é essencial tomar os devidos cuidados no momento. Entender o que seus clientes precisam no momento e entregar conteúdos que os ajudam irá auxiliar muito a diminuir os impactos sentidos.

As melhores estratégias de divulgação

Caso você ainda não trabalhe de forma online, essa é uma boa hora para começar. Muitos profissionais, como educadores físicos, psicólogos e professores de diversas áreas já atuam no mercado digital, com resultados expressivos, como o caso da coach Paula Abreu.

 

Com um número cada vez maior de consumidores recorrendo à internet para fazer compras (desde livros até aulas particulares), faz sentido que empreendedores apostem em soluções virtuais para continuar seu negócio.

Se você teme mudar o formato do seu negócio e perder seus clientes: não se preocupe. O principal é manter uma comunicação ativa com eles e manter a excelência do seu serviço.

Anote então nossas 7 principais dicas para você divulgar seu novo conteúdo e continuar atendendo seus clientes:

1. Faça grupos em aplicativos de mensagem

Se você tem uma base fiel de clientes, chame eles e combine de criar um grupo exclusivo para divulgar novidades, gerenciar horários de atendimento e distribuir seu conteúdo para todos de uma vez só.

É uma ótima forma para criar uma comunidade ao redor do seu negócio, além do contato direto. Você pode criar grupos em aplicativos de mensagem, como WhatsApp ou até mesmo no Facebook ou em outras ferramentas, como o Hotmart Sparkle.

Grupos e comunidades são maneiras de manter o público engajado, tirar dúvidas e mandar novidades sempre que possível, além de conversar e ajudá-los no que for preciso, reforçando sua posição como autoridade no seu ramo de atuação.

2. Crie e fortaleça suas redes sociais

Se o seu negócio não está presente nas redes sociais, agora é o momento de começar. Além de ajudar no contato com seus clientes, é uma oportunidade para que mais pessoas conheçam seu trabalho e se interessem pelo que você tem a oferecer.

O Facebook é geralmente a primeira opção para começar uma estratégia nas redes sociais, mas existem outras que também valem o esforço, como Instagram, YouTube, Twitter e Pinterest.

3. Ligue para eles falando das suas novas soluções

Se o seu negócio tem como maioria clientes que não são tão conectados à tecnologia, o melhor a se fazer é pegar o telefone e ligar para cada um deles, explicando como agora você está fazendo para continuar o atendimento sem sair de casa.

Explique tudo o que você fez e está fazendo de novidade, os conteúdos preparados, a forma de distribuição, como será o atendimento daqui pra frente e tire todas as dúvidas que irão surgir durante a ligação.

Informe que agora você poderá ir além das aulas, oferecendo mais materiais complementares, como e-books e até mesmo áudios para complementar o ensino.

4. Planeje dar aulas ao vivo

Uma estratégia amplamente utilizada para divulgar conteúdo na internet são as aulas ao vivo. Você pode oferecer esse formato como uma solução exclusiva para seus clientes e também para o público em geral.

Por exemplo, se você é professor de inglês, pode combinar com seus alunos para que agora as aulas sejam online, via Skype ou Hangouts. Tudo o que você precisa é de um computador (até seu smartphone já ajuda para dar aulas ao vivo) e de uma conexão estável.

5. Invista em aulas experimentais

Se você ainda não possui uma base de clientes ou deseja expandir sua atual, uma saída é investir em aulas experimentais e mostrar o quanto seu conteúdo é valioso.

Para as aulas gratuitas, você pode optar por fazer uma transmissão geral em alguma rede social, como Instagram por exemplo, ou criar uma agenda para dar uma aula experimental individualmente.

As aulas podem ser agendadas diretamente por telefone ou mensagem, mas também é possível criar uma landing page, que é uma página de captura fácil de ser construída, mostrando os horários disponíveis.

Caso você utilize uma área de membros, como o Hotmart Club, é possível liberar um módulo gratuito para seus alunos, assim eles assistem a uma parte de seu conteúdo sem ter que pagar nada e ficam mais seguros para fazer a compra do curso completo.

6. Use e-mail marketing para se comunicar

Completando a estratégia da landing page, você pode criar uma estratégia de e-mail marketing, que mais nada que uma forma de divulgar suas aulas e conteúdos novos.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o e-mail ainda é uma ótima forma para comunicação com clientes, com ofertas exclusivas para eles.

Para fazer os disparos em massa de forma automática, existem diversas ferramentas que possuem essa funcionalidade. Um exemplo é o MailChimp, cuja a versão gratuita permite armazenar até 2 mil e-mails.

7. Procure fazer parcerias com outros empreendedores e influenciadores

A união faz a força. Por isso, você também pode procurar outros empreendedores que possuem um público parecido com o seu e influenciadores digitais do seu mercado para convidá-los para uma parceria.

Este é um momento onde todos estão procurando ajudar uns aos outros e existem diversos influenciadores que estão abertos a parcerias para ajudar profissionais liberais e pequenos negócios sem cobrar por isso.

Por exemplo: se você é personal trainer e quer dar aulas para que as pessoas possam se exercitar em casa, pode procurar profissionais da área de nutrição e influenciadores digitais fitness.

Essa é uma estratégia conhecida como co-marketing e você pode descobrir mais sobre seu funcionamento neste artigo.

Descubra como acertar na escolha dos temas para as LIVES da sua marca

Os webinários se transformaram em uma das ferramentas de marketing digital mais populares entre as empresas. Eles geram mais engajamento e conversões porque são fáceis de produzir e consumir. Mas para alcançar bons resultados, é essencial saber escolher bons temas para webinar.

O assunto do seminário online precisa ser atraente, instigando a curiosidade do público-alvo. Assim, ele sentirá vontade de assistir ao webinar até o fim e compartilhar o seu conteúdo com mais pessoas. Agora, se os temas não estiverem alinhados com os interesses da audiência, dificilmente ele fará sucesso.

Quer aprender a definir temas para webinar corretamente e aumentar ainda mais os resultados das suas lives? Então continue lendo este artigo!

Índice
  1. Pesquise por palavras-chave
  2. Escolha um assunto que você domina
  3. Identifique as necessidades do público
  4. Analise os temas para webinar dos concorrentes
  5. Aproveite posts do blog da marca
  6. Converse com o setor de vendas
  7. Peça sugestões nas redes sociais
  8. Aprenda com webinars anteriores

1. Pesquise palavras-chave para encontrar temas para webinar

As palavras-chave são os termos que seu público mais usa para encontrar as soluções para seus problemas. O Google, maior buscador online, usa as keywords digitadas para oferecer a quem pesquisa as páginas que contém o assunto buscado. E os primeiros sites que aparecem nos resultados são aquelas em que o conteúdo é mais relevante e, portanto, ganham maior número de acessos.

Dentro de uma estratégia de marketing, as palavras-chave são elementos estratégicos muito importantes. Afinal, é a partir da definição desses termos que possíveis clientes são capazes de encontrar o seu negócio na web.

Para selecionar as keywords mais adequadas para o seu webinar, é importante pesquisar quais termos são mais procurados pelo público. Na hora de realizar essa busca, alguns aspectos devem ser considerados, como:

  • Volume de buscas;
  • Posição atual;
  • Intenção de compra;
  • Oportunidade;
  • Dificuldade.

Para ajudar a realizar a pesquisa de palavras-chave, existem algumas ferramentas online, como o Google Keyword Planner e o SEMrush.

a) Google Keywords Planner

A ferramenta do Google é uma excelente maneira de encontrar os termos mais buscados por um determinado público e até mesmo planejar campanhas online.

Ao pesquisar a palavra-chave o Google Keywords Planner mostra quantas vezes ela foi buscada em um intervalo de tempo. Por exemplo: ela pode aparecer 10 mil vezes em um mês. Essa ferramenta também mostra palavras relacionadas e sua incidência.

Para ter acesso a todas as funções desse serviço, é necessário criar uma conta no Google Ads.

b) SEMrush

Essa ferramenta é paga, mas oferece uma busca sobre o volume de pesquisa das palavras-chave, entre outras funções. O SEMrush mostra os resultados de pesquisas das keywords relacionadas ao volume, à concorrência e ao valor do custo por cliques.

Você pode investir nas duas ferramentas para ter mais sucesso em sua empreitada. Já que o Google utiliza seu próprio banco de dados (que é bastante extenso) e o SEMrush usa dados de diversos sites.

2. Escolha um assunto que você domina

Na hora de definir os temas para webinar, procure abordar um assunto que você domine. Assim, as chances de você oferecer um conteúdo mais relevante e aprofundado são maiores. E claro, ainda evita possíveis “escorregões” ou dados errados.

Por isso, estude o assunto e pense como sua audiência. O que eles podem questionar? O que o público quer saber sobre esse tema?

Seu vídeo vai gerar autoridade de marca e engajamento se o tema for relevante e você transmitir segurança durante a apresentação. Quando escolhe um tema que domina para fazer seu webinar, você fala bem e desenvolve o conteúdo com naturalidade e leveza.

Assim, você se transforma uma referência no seu ramo e o público estará disposto a assistir aos seus próximos vídeos.

3. Identifique as necessidades do público

Quem trabalha com Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo sabe que para atrair o público é preciso falar sobre aquilo que ele se interessa. E não seria diferente na hora de escolher temas para webinar.

Uma estratégia de produção de conteúdo em vídeo precisa entregar para a audiência algo de valor, que seja capaz de resolver os seus problemas e melhorar a sua vida. Logo, conhecer bem quais as necessidades do público é fundamental.

Mas como fazer isso? Simples. O primeiro passo é construir a persona do seu negócio. Esse personagem semi-fictício funciona como uma representação do cliente ideal da sua companhia, com nome, profissão, desejos, necessidades e comportamento.

Elaborar uma buyer persona ajuda a entender como o seu consumidor pensa, quais os problemas que ele enfrenta e como a sua companhia pode ajudá-lo.

Outra maneira de descobrir os interesses da sua persona é através das dúvidas que a sua marca recebe por meio de e-mail ou mensagens em redes sociais. Esse contato espontâneo do seu público indica quais os assuntos que eles consideram mais urgentes e que só a sua empresa pode resolver.

Você também pode elaborar enquetes no Facebook ou Instagram e pedir que os seus seguidores contem quais os seus principais problemas. Além de descobrir as necessidades da audiência, você ainda aumenta o engajamento do público.

Depois de fazer essa pesquisa, você será capaz de definir temas para webinar que sejam do interesse do público. Assim, você entregará mais valor para as pessoas que estão à procura de uma solução para os seus problemas.

4. Analise os temas para webinar dos concorrentes

A não ser que a sua empresa esteja explorando um nicho de mercado totalmente novo, é provável que você tenha alguns concorrentes. Se eles realizam webinários com frequência e alcançam bons resultados, que tal se inspirar no que eles estão fazendo?

Analisar os concorrentes é importante tanto para quem está começando um novo negócio como para quem está aperfeiçoando as estratégias de marketing digital. Assim, procure acompanhar o que eles produzem, os temas para webinar escolhidos e a reação do público.

Mas atenção: nada de copiar os temas da concorrência!

Você deve estudar e observar as estratégias dessas empresas, ver como o público se comporta e encontrar furos ou temas que eles esqueceram de abordar. Dessa maneira a sua companhia será capaz de produzir conteúdos de alto valor e que se destacam entre os concorrentes.

5. Aproveite posts do blog da marca

Outro jeito de pesquisar temas para webinar é dar uma olhada no blog da sua marca. Ele contém materiais muito ricos e que conversam diretamente com a sua persona.

Pesquise pelos artigos e conteúdos com maior número de acessos, compartilhamentos e comentários. Eles indicam os temas que são mais relevantes para o seu público e dão uma pista daquilo que você deve abordar no seu próximo webinar.

Procure entender quais os assuntos que mais prendem a atenção da sua audiência. O público lê o post ou assiste o vídeo até o fim? Ponto positivo para a publicação. O espectador só vê o começo da gravação e já sai da página? Talvez o assunto não seja do interesse dele.

Aqueles posts que foram mais compartilhados tem os temas da preferência do seu público. As pessoas dedicam seu tempo naquilo que é relevante, que causa impacto em suas vidas ou que crie uma ligação sentimental.

Leia os comentários e as dúvidas deixadas nos posts do seu blog. Eles mostram as dores que sua persona precisa resolver. Observe se ficou um buraco na informação transmitida e complemente com um novo conteúdo.

6. Converse com o setor de vendas

Se a sua marca conta com um time de vendas dedicado, você tem à disposição uma fonte inesgotável de informações sobre o comportamento dos clientes.

E não é para menos. Os representantes comerciais estão em contato direto com o cliente e percebem rapidamente quais os problemas que eles enfrentam.

Para ajudar você a alinhar a sua estratégia de marketing com setor de vendas, utilize as perguntas abaixo:

  • A audiência caminha pelo funil de vendas com facilidade? Se não, como mudar isso?
  • O setor de vendas responde sempre às mesmas perguntas da audiência?
  • Quais são as principais dificuldades enfrentadas pelo público?

As respostas dessas questões indicam se será necessário realizar um webinar sobre os temas recorrentes no setor comercial da sua empresa. Vale se reunir com esses funcionários periodicamente para verificar se sua estratégia obteve resultados positivos.

Lembre-se que o Marketing de Conteúdo não é engessado. Ele deve acompanhar as dores da audiência. E, o setor de vendas da sua empresa fornecerá excelentes sugestões de temas para webinar que serão sucesso.

7. Peça sugestões de temas para webinar nas redes sociais

As mídias sociais são excelentes canais para estabelecer e nutrir uma relação próxima com os clientes. Esses serviços funcionam como uma vitrine para a sua empresa e facilitam a identificação do público com a marca.

Por isso, use as redes sociais a seu favor.

Em suas postagens, sejam elas em texto, imagem ou vídeo, pergunte aos seguidores qual é o assunto é mais interessante ou quais temas eles gostariam de ver sendo abordados em um webinar. Observe também as mensagens e comentários que os usuários enviam.

Anote todas as sugestões e perguntas e veja tópicos aparecem mais vezes. Eles indicam que a maioria dos seus seguidores têm dúvidas e necessidades em comum que ainda não foram solucionadas. E um webinar pode ajudá-los.

8. Aprenda com webinars anteriores

Nos seus seminários anteriores é bem provável que exista uma pergunta que se repetiu com uma frequência maior, certo? Portanto, que tal fazer dessa pergunta um tema para o novo webinar? A estratégia é boa, pois está alinhada com as dores da sua audiência.

Esse tema vai conseguir gerar muitos leads, já que o público estará interessado em saber como resolver esse problema.

Analisar os conteúdos já produzidos também permite identificar as informações que faltaram. Dessa maneira, fica fácil produzir seminários que apresentem dados mais recentes e inovadores, muito mais relevantes para o público.

Você também pode indicar os conteúdos anteriores como referência para complementar o seu webinar e assim gerar mais tráfego orgânico para seu site.

Conclusão

Definir os temas para webinar é uma tarefa que muitas marcas e empreendedores consideram menor, sem tanta importância. Entretanto, o assunto do evento é justamente o que atrai e engaja a audiência! Por isso, é importante planejar com cuidado o que será abordado no webinário. O tema precisa estar alinhado com os interesses e necessidades da audiência.

Descubra como utilizar o Zoom para fazer lives

Em um mundo cada vez mais conectado, o recurso de transmissão ao vivo está bastante presente no mundo dos negócios, sejam eles locais ou digitais. E aprender a usar esse recurso pode fazer a diferença e ajudar sua marca a atingir um número maior de pessoas.

A produção de vídeos está se tornando cada vez mais comum no universo dos criadores de conteúdo digital. E os webinars estão entre o formato de vídeo preferido, já que ajudam a aumentar o engajamento do público.

Para conquistar bons resultados com esse conteúdo, você deve oferecer mais do que um excelente conteúdo. Uma plataforma capaz de garantir o sucesso do encontro ao vivo é fundamental. E fazer webinar com o Zoom é uma excelente maneira de inserir o vídeo ao vivo em sua estratégia..

Por isso, neste artigo você poderá aprender como usar o Zoom para fazer webinars de sucesso, entendendo passo a passo como impulsionar o seu negócio com esse serviço.

O QUE É O ZOOM VIDEO WEBINAR?

O Zoom Video Webinar é uma plataforma para hospedagem de eventos ao vivo, reuniões em tempo real e palestras através da internet. Simples e econômica, com essa ferramenta é possível impactar até 1.000 participantes de forma simultânea na mesma transmissão.

Não importa se os webinars já fazem parte do dia a dia do seu negócio ou se você está começando uma estratégia do zero. Contar com uma ferramenta que facilite a criação de uma transmissão ao vivo é fundamental, já que ela permite:

  • Prospectar mais leads
  • Aumentar as vendas
  • Consolidar presença e autoridade na internet

Quais as funcionalidades?

O Zoom conta com diversas funcionalidades, como:

  • Transmissão de vídeo em alta definição;
  • Compartilhamento de tela;
  • Transmissão para diversos dispositivos como tablets, desktops e smartphones;
  • Transmissão em plataformas como Facebook e Youtube;
  • Caixa de diálogo de perguntas e respostas;
  • Gravação do webinar para hospedagem em outros sites;
  • Diferentes planos de serviços.

COMO USAR O ZOOM PARA FAZER UM WEBINAR

Para garantir que seu negócio tenha sucesso utilizando o Zoom, listamos seis passos fundamentais para que você consiga utilizar essa ferramenta sem dificuldade. Confira:

1. Crie uma conta no Zoom

Para utilizar a plataforma, é necessário fazer o registro dentro do site do Zoom. Esse processo é bastante simples. Veja só:

  • Acesse a página inicial;
  • Clique em “Registre-se, é Grátis”;
  • Cadastre seu e-mail profissional;
  • Clique no e-mail de confirmação que o Zoom enviará em sua caixa de entrada;
  • Finalize o cadastro com seus dados pessoais.

2. Adquira um plano para fazer seu webinar

O Zoom Video Webinar tem a solução ideal para que seu webinar funcione de acordo com o que sua estratégia necessite.

Enquanto o plano gratuito permite fazer transmissões de até 40 minutos e convidar 100 pessoas, as contas empresariais ampliam o número de participantes para 1.000 pessoas, sem limite de duração.

Conheça abaixo os diferentes planos e valores oferecidos pelo Zoom:

  • Básico: gratuito;
  • Profissional: U$ 14,99;
  • Corporativo: U$ 19,99;
  • Empresarial: U$ 19,99.

Se deseja descobrir mais a fundo sobre as funcionalidades que diferenciam os planos, acesse esse link.

 3. Agende seu webinar

Uma das vantagens de como usar o Zoom, é poder aproveitar as múltiplas possibilidades de agendamento do webinar. Você poderá agendar suas lives através:

  • Da área de trabalho do desktop;
  • De dispositivos móveis;
  • Plugins de navegadores (como Chrome ou Firefox);
  • Pelo portal online do Zoom.
  1. Escolha como o público vai se registrar

Através das configurações do painel de controle, é possível determinar qual o tipo de registro necessário para que o público tenha acesso ao webinar.

No agendamento com registro, os usuários precisarão preencher um formulário específico para que a plataforma possa avisar sobre a transmissão. Já no acesso sem registro, bastará o usuário preencher nome e senha para ter entrar na transmissão.

Lembrando que não existe certo ou errado, mas a opção que faz mais sentido para sua estratégia de marketing e produção de vídeos.

5. Configure a opção de perguntas durante o webinar

Para conseguir interagir melhor com a audiência durante o webinar, é possível escolher diferentes formas de comunicação com o público. As configurações podem ser feitas antes da transmissão ou durante o evento.

Uma das mais populares entre quem costuma fazer webinar com o Zoom, está relacionada às perguntas padrão. Aqui, os usuários podem perguntar e interagir através de frases ou palavras curtas. Já na interação com perguntas fechadas, o administrador oferecerá opções de resposta e o espectador poderá votar na que preferir.

6. Compartilhe seu evento com o público

Após fazer toda a configuração necessária, é hora de compartilhar seu evento com o público. E, para isso, existem dezenas de maneiras de promover seu webinar. Tudo dependerá dos objetivos que você tem com a realização do evento.

Afinal, ao oferecer um conteúdo de valor ao vivo, seu negócio sempre tem um objetivo por trás. Pode ser oferecer um curso online, promover um evento, aumentar o download de um material educativo ou até fortalecer a marca.

5 DICAS PARA FAZER UM WEBINÁRIO DE SUCESSO COM O ZOOM

Para fazer um webinário com o Zoom, é necessário que o propósito do conteúdo esteja totalmente alinhado com o que será apresentado no vídeo. Para você não ter problemas na hora de criar seu evento, confira cinco dicas importantes de como usar o Zoom de maneira estratégica:

1. Promova seu evento

Se ninguém souber que você está promovendo um webinar, você não terá público e seu evento será um fracasso. Nesse sentido, não meça esforços para divulgar sua transmissão para o público-alvo.

Você pode fazer isso por meio do envio de mensagens de e-mail, publicações em redes sociais, posts no blog da marca ou sites de compra de ingresso (caso o contéudo do seu webinar seja pago).

O importante é que você consiga reunir o máximo de pessoas possível para impactar um o maior número de pessoas simultaneamente.

2. Teste seus equipamentos

Antes de começar o webinar ao vivo, é muito importante testar todos os equipamentos para saber se estão funcionando corretamente. Afinal, ter problemas técnicos durante um evento por falta de checagem de equipamentos mostra amadorismo e pode causar até mesmo a perda de credibilidade da marca.

Por isso, verifique se a webcam está funcionando corretamente, se o microfone do computador está em um volume adequado, se a internet está estável e também se outras ferramentas de apoio estão prontas para a transmissão.

3. Envie um lembrete para a audiência antes do webinar começar

Para usar o Zoom de maneira correta e engajar a audiência, é sempre importante avisar o público sobre a proximidade do webinário. Isso evita que o evento caia no esquecimento.

Portanto, envie um lembrete com no mínimo 7 dias de antecedência,seguido de um e-mail depois três dias, um comunicado no dia do evento e uma chamada meia hora antes de começar.

Isso garantirá que as pessoas interessadas realmente estejam presentes no horário combinado.

4. Reserve um tempo para perguntas

Ao fazer webinar com o Zoom, utilize a interação com o público a seu favor. Faça perguntas relacionadas ao conteúdo que você está oferecido e mostre preocupação e cuidado com as dúvidas da audiência.

Saber a opinião do público é fundamental para conduzir o conteúdo até o final da transmissão.

Utilize a caixa diálogo e chame as pessoas para participarem com você sempre que possível. Assim, você mostra para o público que seu negócio se interessa pela opinião dos espectadores.

5. Não se esqueça das ações pós-webinar

Os webinars são sempre desenvolvidos com um objetivo maior por trás daquela transmissão. Seja a venda de um produto online, divulgação de um novo evento, ou oferecimento de conteúdo complementar gratuito.

Essas ações são muito fortes e poderosas para reforçar uma ideia ou ativar gatilhos mentais de urgência de compra. Inclusive, você poderá utilizar ações de marketing que durem apenas durante a transmissão ao vivo.

Nunca se esqueça de avisar à sua audiência para ficar até o final da reunião para que tenha direito ao que será oferecido.

Vale a pena usar o Zoom Video Webinar?

Se você deseja aumentar sua presença no universo online, está preparando o lançamento de algum produto ou quer fazer uma venda direta impactando o maior número de pessoas ao mesmo tempo, fazer webinários com o Zoom ajuda a fortalecer sua estratégia de marketing.

O Zoom Video Webinar é uma das melhores plataformas de transmissão ao vivo do mercado. Além de apresentar diversas funcionalidades complementares para transformar a experiência de quem assiste ao conteúdo, é possível escolher um plano acessível para cada uma das necessidades do negócio.

Pronto! Agora você já sabe como usar o Zoom para fazer transmissões ao vivo e alavancar suas vendas. Mas só uma boa ferramenta não é sinônimo de sucesso. È preciso planejar bem o conteúdo do webinar. Por isso, confira nosso artigo e descubra como acertar na escolha dos temas para os webinars do seu negócio.

As melhores estratégias para ganhar mais com seus eventos

Criar eventos é uma ótima maneira de dar uma visibilidade extra para suas atividades e ainda impulsionar suas vendas online.

Mas antes de mais nada, é importante analisar qual será a finalidade e o impacto de um evento terá no seu negócio. Afinal, ele precisa ser muito bem pensado e preparado para que tenha o efeito esperado.

Se o seu objetivo é se tornar referência na área, você precisará ter argumentos que convençam o público da exclusividade do evento e do que ele poderá promover para os participantes.

Digital ou físico, um evento precisa cativar e transformar as pessoas que participam dele. Então, você precisa identificar corretamente qual será o público e o local, no caso de um evento físico, ou a plataforma, caso seja digital.

Se o seu objetivo é atrair mais clientes para os seus produtos digitais, lembre-se de que o conteúdo deverá ser o grande atrativo. Convidar pessoas que são referência na área para dar suporte ao que você pretende promover, pode ser uma ótima ideia.

Seja qual for o seu objetivo, um evento é sempre um grande oportunidade de fazer networking, encontrar novos parceiros para o seu negócio, divulgar seus produtos e ganhar mais visibilidade. Então capriche nos detalhes para que tudo saia como o planejado e você alcance os resultados que espera.

Um up para as suas vendas

A Hotmart a ferramenta certa para ajudar você a criar o seu evento. Além de criar o ingresso de forma simples e rápida, nossa plataforma permite que você venda e distribua digitalmente seus ingressos. Legal, não é?

Mas melhor que isso, é a possibilidade de incrementar a sua receita com algumas estratégias interessantes e capazes de criar um senso de exclusividade ainda maior para o seu público.

Quer saber como aproveitar essa chance de aumentar a sua receita? Então, vem comigo!

1. Mais valor para quem já tem um ingresso

Aproveite a oportunidade para oferecer acesso VIP ao seu evento com o upgrade de ingresso.

Aqui, a ideia é mostrar que você pode entregar algo além do padrão do seu nicho. Apresentar argumentos que possam atrair seus clientes para uma imersão ainda mais profunda, uma experiência ainda mais transformadora.

Na plataforma Hotmart você consegue fazer isso com muita facilidade: basta acessar a opção Vendas no menu lateral esquerdo, em seguida abrir Visão Geral e escolher a opção Ingresso. Lá você poderá conferir os detalhes das vendas e enviar um email automático para quem já comprou o ingresso. Assim você ganha tempo e pode escolher se quer enviar emails individuais ou em massa.

Mas lembre-se de que nessa hora, não basta simplesmente divulgar o upgrade, mas criar uma experiência ainda mais significativa para aquele comprador.

2. Conteúdos exclusivos antes, durante e depois

Uma outra forma bastante interessante de agregar valor ao seu evento e mostrar para o seu comprador que vale a pena fazer um upgrade de ingresso, é oferecer conteúdos exclusivos, antes, durante e até após o evento.

Essa é uma excelente estratégia para criar um relacionamento mais próximo do seu público, afinal, o seu conteúdo permanece com ele durante mais tempo, mesmo quando ele for embora.

Você pode usar as comunidades exclusivas do Hotmart Sparkle para distribuir o seu conteúdo para quem comprou o acesso VIP ao seu evento e ainda criar comunidades gratuitas com um conteúdo mais simplificado para gerar interesse no público.

Saiba como o Hotmart Sparkle pode te ajudar com seuse eventos, neste post.

3. Diversifique suas vendas durante o evento

Outra forma de incrementar a sua receita é aproveitar o público de seus eventos físicos para vender produtos relacionados, digitais ou não.

Crie um senso de oportunidade para os participantes, com descontos exclusivos ou até com um material diferenciado que ele só poderá comprar durante o evento.

Você também pode contar com o aplicativo para facilitar suas vendas no local, assim os participantes podem usar o celular para fazer as compras com cartão de crédito ou até com o saldo da conta Hotmart, caso sejam produtores ou Afiliados cadastrados na plataforma.

É hora de colocar tudo em prática

Se você quer uma ajuda personalizada da nossa agência para divulgar o seu evento, entre em contato conosco através do formulário do site.

 

Tipos de Infoprodutos: conheça um dos produtos mais rentáveis do mundo

Conhecer os tipos de infoprodutos pode abrir para você as portas de um dos mercados mais rentáveis do mundo, quiçá o mais rentável.

Porque é o seguinte: para você conseguir aumentar o lucro do seu negócio e ter uma renda considerável, você precisa de ter um produto escalável.

Vou te dar um exemplo.

Se você abrisse um stand de limonada no seu bairro e vendesse o copo por 5 reais e tivesse 2 reais de lucro, para você chegar no final do mês com mil reais no seu bolso você precisaria vender 500 limonadas.

Nada de errado com isso.

O lance é que se você quisesse escalar (ou seja, aumentar isso) e ter uma renda de 5 mil reais com as limonadas, supostamente precisaria vender 2500 copos.

E aí é um jogo totalmente diferente, porque você precisaria de mais pessoas trabalhando com você para dar conta da demanda, o que aumentaria o custo final do produto e aí a margem de lucro já não é mais a mesma.

Então, na verdade, você teria que vender bem mais que 2500 copos para ter 5 mil reais no seu bolso no final do mês.

Fora que você teria que pensar em outras questões como estoque e a logística de toda a operação. Coisas que tornam o processo de expansão mais trabalhoso.

Enfim, aumentar consideravelmente as vendas de um produto físico é difícil, pois implica em diversas mudanças que precisam acontecer para sustentar esse crescimento.

É claro que existem vários negócios que funcionam assim e dão certo.

Mas a grande sacada é que existe um tipo de produto que você consegue escalar as vendas sem ter toda essa dificuldade: os infoprodutos.

Isso significa que você pode ter um faturamento maior sem ter que dedicar tanto esforço quanto se estivesse lidando com um produto físico.

Além disso, você não vai precisar se preocupar com estoque ou fornecedores, nem nada do tipo.

E o custo de produção acaba sendo baixo, no final das contas, porque geralmente você pode produzir uma só vez e depois pode vender quantas vezes quiser o mesmo produto.

Por isso esse é um dos produtos mais rentáveis do mundo, quiçá o mais rentável de todos.

Então, se você quer descobrir como fazer isso no seu negócio, continua comigo que eu vou te mostrar:

  • o que exatamente são os infoprodutos;
  • 14 tipos de infoprodutos para você explorar no seu negócio;
  • e como criar o seu.

Bora lá!

O que são infoprodutos?

Se você usa a internet há algum tempo, as chances são que você já consumiu um infoproduto.

Porque eles estão disponíveis nos mais diversos locais e formatos, inclusive alguns são bem populares.

Os infoprodutos são produtos (como o próprio nome já diz) digitais que tem como objetivo educar sobre um tópico específico, auxiliar na resolução de um problema ou facilitar a execução de tarefas.

Eles são distribuídos através da internet, o que oferece comodidade para o público, pois o processo de aquisição é totalmente virtual, e geralmente podem ser acessados de qualquer lugar.

Quer ver um exemplo? Imagina que você esteja com dificuldade de configurar suas campanhas no Google Ads e depois de uma pesquisa na internet encontre uma vídeo aula sobre o assunto.

Se você quiser, pode assistir pelo seu celular ou computador, em casa ou no seu escritório. Você tem a conveniência de escolher como e quando você vai consumir esse produto.

Esse é um dos motivos pelo qual a popularidade dos infoprodutos tem aumentado cada vez mais.

Olhando pelo lado do empreendedor, esse tipo de produto pode ser disponibilizado gratuitamente, por exemplo, para gerar leads ou, então, até mesmo vendido.

Inclusive, como eu te falei no início do artigo, eles oferecem alta escalabilidade.

Isso quer dizer que você tem a possibilidade de aumentar suas vendas, sem ter que se desdobrar para dar conta de produzir mais.

O que é diferente de um produto físico ou de um curso presencial, por exemplo, que se você tiver uma alta demanda, você precisa se preocupar com diversas questões de logística, como estoque, ou disponibilidade na sua agenda (sem contar os custos a mais!).

Uma vez que o infoproduto está feito, você pode concentrar o seu foco nas vendas e em oferecer um suporte de qualidade para os seus clientes.

14 tipos de infoprodutos para você explorar

Agora que você já sabe o que é um infoproduto, eu vou te mostrar quais são os tipos que você pode explorar no seu negócio tanto para gerar leads quanto para vender.

E é o seguinte, independente de qual seja o seu nicho de mercado ou o assunto sobre o qual você quer educar o seu público, existe um tipo de infoproduto que dá conta do serviço.

Pois, como você vai ver a seguir, a grande variedade de tipos permite que você alcance o seu público através de vídeo, texto, imagens ou áudio.

Ou seja, da forma que for melhor tanto para o seu público quanto para o seu negócio.

E para você não ficar na dúvida de qual utilizar, eu vou te explicar o que é e como cada um deles funciona.

Vamos lá?

#1 Ebooks

Se fosse para eu escolher um campeão de popularidade entre os infoprodutos, eu diria que é o ebook.

Ele é um livro eletrônico que geralmente traz um conteúdo mais aprofundado em linguagem simples e fácil de entender.

Uma das grandes vantagens dele é a comodidade no acesso, pois, uma vez que o usuário salva o ebook em seus dispositivos, ele não depende mais de internet para conseguir ler o conteúdo.

Os ebooks são ideais para explicar tópicos que não exigem demonstração visual.

Por exemplo, seria bem mais complicado explicar como tocar uma música no violão através de texto do que em uma videoaula (assunto do nosso próximo tópico).

Para criar ebook, você vai precisar de um programa para escrever (pode ser Word, Google Docs ou outro que você achar melhor) e alguém que faça a parte gráfica de colocar imagens e criar um design atraente.

Afinal de contas, a parte visual também importa na hora de persuadir o seu público a comprar ou baixar o seu ebook e lê-lo até o final.

#2 Cursos online

Os cursos online geralmente são compostos por videoaulas, mas também podem agregar outros tipos de infoprodutos como material de suporte.

Eles são uma forma leve e dinâmica de educar as pessoas, e que atrai muita gente.

Primeiro, porque hoje em dia quase ninguém tem tempo e disponibilidade para participar de aulas presenciais.

Muitas pessoas, senão a maioria, querem aprender coisas novas de acordo com o seu próprio ritmo e nos horários que elas têm, que nem sempre coincidem com o de uma aula presencial.

Ou seja, cursos online são sinônimos de conveniência.

Segundo, porque vídeo é um dos formatos preferidos na internet.

Só para você ter uma noção, nos Estados Unidos, as pessoas passam praticamente 6 horas por dia assistindo a vídeos. É muito tempo.

Se você quiser saber mais sobre esse tipo de infoproduto e como vendê-lo, leia o artigo Como vender curso online aqui no blog do KP.

#3 Screencasts

Se você gosta de jogos eletrônicos ou tem filhos que gostam, as chances são que você provavelmente já viu um screencast.

Eles são aquelas gravações da tela do computador que podem ser acompanhadas pelo aúdio original ou por um gravado posteriormente.

Se engana quem acha que esse tipo de infoproduto funciona só para games.

Os screencasts também são bastante úteis para quem quer demonstrar, por exemplo, como utilizar uma ferramenta.

Para fazer o seu, você precisará de uma programa de gravação de tela do computador e um microfone para captar com qualidade as suas explicações.

#4 Podcasts

 

Se você não sabe o que é um podcast, ele é tipo um programa de rádio sobre um assunto específico.

A grande diferença é que o conteúdo do podcast é sob demanda, ou seja, você pode escutar quando quiser.

E eles geralmente são divididos em temporadas e episódios, tipo uma série da Netflix, e são disponibilizados na internet.

Uma das grandes vantagens desse tipo é que, como se trata apenas de áudio, as pessoas podem consumi-los em momentos que não poderiam ler um ebook ou assistir a uma vídeoaula. Como quando estão dirigindo, por exemplo.

Se você ficou curioso e quer saber como fazer um, o artigo Como fazer podcast: o caso da empresa que faturou 7 milhões em 24 com essa mídia explica tudo o que você precisa saber sobre o assunto.

#5 Videocasts

Os videocasts são a versão em vídeo dos podcasts.

Muitas empresas e canais optam por não só gravar o áudio como também filmar o podcast.

Isso possibilita que ele seja distribuído também em plataformas de vídeo, como o YouTube, deixando o conteúdo acessível para pessoas que não tem o hábito de acessar podcasts.

#6 Audiobooks

Os audiobooks são livros narradas e disponibilizados em áudio. Hoje em dia, inclusive, é bem comum que o próprio autor faça a narração do livro.

Assim como os podcasts, eles proporcionam comodidade e otimização de tempo, pois dá para serem consumidos enquanto o público faz outra coisa ao mesmo tempo.

Além disso, é um formato fácil de ser executado. Tudo o que você precisa é de um microfone, um programa de edição de áudio e, claro, o livro que será narrado.

#7 Área de membros

A área de membros, também conhecida como programas de assinatura, sites de membros ou membership, é uma plataforma que oferece conteúdos exclusivos para um público restrito.

As pessoas geralmente têm acesso à área de membros mediante a uma assinatura ou taxa de adesão e, a partir daí, elas podem utilizar os recursos disponíveis.

Esse é o tipo de infoproduto ideal para quem está buscando ter um faturamento recorrente, ou seja, que todos os meses tem a expectativa de ver um valor determinado entrando no caixa do negócio.

Só é preciso ficar atento para oferecer benefícios e vantagens que incentivem o seu público a participar da sua área de membros e trazer sempre novidades e conteúdo de valor para evitar que as pessoas cancelem depois de algum tempo.

#8 Revistas eletrônicas

As revistas eletrônicas ou e-magazines são publicações periódicas, tipo uma versão digital das revistas impressas.

Esse tipo de infoproduto também oferece a possibilidade de ter um faturamento recorrente, pois normalmente é vendido através de uma sistema de assinaturas.

As e-magazines demandam mais trabalho do que os outros tipos de infoproduto, porque uma revista, ainda que eletrônica, precisa ter diagramação, design e seleção de fotografias e imagens.

E também por ser um periódico, ou seja, dentro de uma determinada frequência os assinantes recebem uma nova edição, você precisa ter uma equipe sempre trabalhando para criar conteúdo novo.

#9 Whitepaper

Os whitepapers são conteúdos escritos mais densos, focados e específicos do que os ebooks.

Eles apresentam dados de pesquisa e relatórios e exploram mais a fundo um determinado tópico. Geralmente de forma mais técnica.

Ou seja, é o tipo de conteúdo voltado para quem quer se aprofundar em um assunto, não para alguém que está pesquisando pela primeira vez.

Além disso, não existe praticamente um trabalho gráfico por detrás do whitepaper (como é o caso do ebook).

É mais ou menos como se ele fosse um trabalho da faculdade, que é feito numa folha branca com o texto em preto. Ou seja, não tem muitas imagens e nem detalhes de diagramação para deixá-lo mais atraente.

Afinal de contas, como o próprio nome diz eles são papéis brancos (em inglês, paper significa papel e white, branco).

#10 Webinar

O webinar é um evento digital que geralmente ocorre por meio de transmissões ao vivo.

Ele pode ser uma palestra, um workshop, uma demonstração de um produto ou um bate papo com especialistas.

Como ele acontece ao vivo, as duas grandes vantagens desse tipo de infoproduto são:

  • é possível interagir com o público, aumentando assim o engajamento das pessoas
  • e você não precisa se preocupar com toda a estrutura necessária para fazer um evento presencial.

#11 Infográficos

Os infográficos são uma forma de transformar uma informação complexa (e na maioria das vezes complicada de entender) em algo simples e compreensível por meio de gráficos e imagens.

Na maioria das vezes, eles são utilizados para apresentar dados estatísticos de forma visual.

Para saber mais sobre como criar um, leia o artigo Infográfico: o que é, como fazer os mais criativos e exemplos.

#12 Templates

Os templates são modelos ou estruturas pré-definidas que facilitam a criação de um conteúdo.

Os usuários só precisam alterar algumas informações ou configurações para produzirem o conteúdo que desejam.

Na internet você pode encontrar por exemplos templates para emails, página de blogs, call to actions, infográficos, posts para redes sociais…

Enfim, se você tem um modelo ou uma estrutura pré-definida para fazer alguma coisa, você pode distribuí-la, gerar valor para o seu público ou até mesmo vendê-la.

#13 Ferramentas

As ferramentas, nesse caso, podem ser plugins, extensões, aplicativos ou programas de computador.

Elas são uma solução prática e objetiva para resolver um problema ou facilitar uma tarefa.

Porém, é o tipo de infoproduto que dá mais trabalho para ser produzido, pois geralmente é necessário ter desenvolvedores de software no seu time para fazer isso (a não ser que essa seja a sua expertise).

#14 Kits

Os kits são compostos por diversos infoprodutos sobre um mesmo assunto.

Você pode combinar ebooks com videoaulas, podcasts e templates, por exemplo.

Eles são bem interessantes pois os diversos tipos de infoproduto podem se complementar e gerar um aprendizado melhor para os seus clientes.

8 passos para criar o seu infoproduto

Depois de ver todos esses tipos de infoprodutos, é provável que a sua cabeça esteja borbulhando de ideias para fazer o seu.

Mas antes de você estar pronto para colocar a mão na massa, eu vou te explicar exatamente o que você deve fazer para criar um infoproduto.

Independentemente de qual tipo que você esteja considerando utilizar, esse passo a passo vai servir para você.

Porque ele está focado nos fundamentos da parada.

Os detalhezinhos, os equipamentos necessários, isso tudo você já viu na explicação de cada um dos tipos.

Então, vamos lá. A primeira coisa que você deve fazer é…

1. Selecione um tópico

É essencial que você se faça algumas perguntas na hora de definir qual será o assunto que o seu infoproduto irá cobrir e explicar:

  • Qual é a sua expertise? O que você sabe muito e gostaria de compartilhar com as pessoas?
  • O que o seu público está interessado em ver?
  • Qual é a dor dos seus potenciais clientes? O que mantém eles acordados a noite? E como o seu negócio pode ajudá-los a resolver isso?

A partir dessas perguntas você vai conseguir encontrar um tópico que você tenha domínio para falar ou escrever sobre ele e que o seu público também tenha interesse.

Afinal de contas, não adianta nada você produzir o melhor infoproduto do mundo sobre um tópico que os seus potenciais clientes não estão nem aí sobre.

2. Escolha o tipo mais adequado

Na hora de escolher qual é tipo de infoproduto você vai criar, você precisa levar 3 pontos em consideração:

  • A sua persona: qual é o tipo mais acessado pelo seu cliente ideal? Isso vai variar de negócio para negócio e do público que você está tentando alcançar;
  • O tópico escolhido: dependendo do assunto, você vai precisar de explicações mais visuais. Por exemplo, é mais fácil você demonstrar como fazer um exercício de CrossFit num vídeo do que através de um texto;
  • A produção em si: os recursos e equipamentos que você tem à sua disposição.

3. Pesquise sobre o assunto

Antes de começar a produzir, pesquise o que outras pessoas e negócios já fizeram sobre o tópico que você escolheu.

Isso vai te ajudar a ter uma noção dos conteúdos que você precisa cobrir e também a encontrar um diferencial para tornar o seu infoproduto único.

4. Faça um esqueleto

O esqueleto é uma espécie de rascunho onde você vai montar a estrutura do seu infoproduto.

Dessa forma, você vai conseguir ter mais clareza de qual será o resultado final, os pontos que você irá cobrir e poderá organizar o seu conteúdo da forma que ficar melhor.

5. Produza o conteúdo

Essa é a hora de gravar os vídeos se você estiver fazendo um curso online, um videocast ou um screencast.

Ou de escrever se você tiver escolhido ebook, revista eletrônica, whitepaper…

Enfim, esse é o momento que de fato você vai colocar a mão na massa e produzir o seu infoproduto.

6. Edite e revise o conteúdo

Depois que ele estiver pronto, não se esqueça de editar os vídeos e os áudios, além de revisar os textos para garantir que tudo está na melhor forma possível.

7. Publique o seu infoproduto

Você pode entregar o seu infoproduto para o consumidor final de diversas formas, por exemplo, por email ou através de uma página de download.

O fato é que, se o seu objetivo é gerar leads com seu infoproduto, não existe lugar melhor do que uma landing page totalmente otimizada para conversão para isso.

Não sabe como criar uma landing page? Nessas horas o  Klickpages é a ferramenta ideal.

Você só precisa seguir esses três passos:

  1. Escolha seu modelo: conheça opções de alta conversão comprovada por testes.
  2. Customize a página: edite textos, cores e imagens, além de ocultar elementos que pouco agregam.
  3. Publique: com tudo pronto, é só publicar no seu próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

8. Faça a divulgação

E, por último, divulgue o seu produto nas redes sociais e promova o download gratuito ou as vendas dele.

Conclusão

Como eu te expliquei no começo deste artigo, os infoprodutos têm capacidade de alta escalabilidade, o que faz esse tipo de produto ser um dos mais rentáveis do mundo.

Mas isso não significa que todo infoproduto precisa ser vendido, você também pode disponibilizá-los de graça para poder conseguir o contato de email de potenciais clientes e assim desenvolver um relacionamento duradouro que pode pode levar a vendas futuras.

Você viu que um infoproduto é um produto digital que tem como objetivo educar ou solucionar um problema.

E eu te apresentei os 14 tipos que você pode explorar no seu negócio como, por exemplo, ebooks, podcasts, cursos online e webinars.

Você também descobriu o passo a passo para criar o seu infoproduto do zero.

Agora é sua hora de botar a mão na massa.

Ah, e não se esqueça depois de me contar nos comentários qual é o seu tipo de infoproduto favorito!

 

Transforme seu Instagram em uma máquina de gerar leads com essas 9 estratégias

Como é que uma rede social que tem por objetivo fazer os usuários postarem fotos simples e vídeos curtos pode te ajudar a vender mais?

A resposta a essa pergunta ajuda a entender como o Instagram se tornou fenômeno também entre empresas e profissionais de vários segmentos.

Afinal, quem deseja promover e vender seus serviços para mais pessoas quase sempre usa as redes sociais.

Por outro lado, nem todo mundo vai conseguir extrair todo o potencial incrível desse canal, seja por falta de conhecimento, seja por falta de iniciativa para explorar seus melhores recursos.

Se você quer estar do lado dos que conseguem transformar o perfil do Instagram em uma verdadeira máquina de gerar leads, precisa ler este artigo.

Nele, você vai ver:

  • por que investir no Instagram como canal de vendas;
  • do que o seu perfil precisa para se tornar uma máquina de resultados;
  • 9 formas práticas de gerar leads com o seu perfil do Instagram.

Por que investir no Instagram como canal de vendas

O melhor modo de justificar qualquer investimento no Instagram enquanto canal de negócios é por observar alguns dos seus incríveis números.

Ano após ano, a empresa vem apresentando crescimento na base de usuários. Ainda melhor que isso, ao lançar recursos inovadores de tempos em tempos, a rede tem sido capaz de continuar relevante e até ditar tendências.

Confira alguns dados sobre o Instagram que mostram todo o seu poder:

  • mais de 1 bilhão de usuários ativos todos os meses. Mais de 500 milhões desses usam o aplicativo todos os dias em todo o mundo;
  • 80% das contas seguem pelo menos uma empresa na rede;
  • um impressionante número de 500 milhões de contas usam o Stories todos os dias.

Isso comprova o quanto o Instagram está na elite das redes sociais e sua força para reunir uma grande massa de usuários, bem como para mantê-los engajados e ativos.

Uma rede que consegue prender a atenção de tanta gente por tanto tempo certamente tem algo a oferecer em termos de negócios, não concorda?

É por isso que mais e mais empresas enxergam no Instagram um poderoso canal de negócios. Porém, é essencial entender como usar toda essa força a seu favor, e não contra. É isso que vamos ver agora.

O que seu perfil precisa para se tornar uma máquina de resultados

Uma coisa é saber que o Instagram está ao alcance de todos e que com as otimizações certas é possível transformá-lo em uma máquina de gerar leads.

Outra coisa bem diferente é achar que basta criar um perfil e publicar nele com alguma frequência para as vendas começarem a surgir.

Pelo contrário: não se esqueça que, como em qualquer ambiente de negócios, o Instagram também apresentará concorrentes.

Por isso, o mínimo a fazer é preencher alguns requisitos que vamos conferir na lista abaixo. Eles serão a base para uma estratégia sólida de geração de leads.

Perfil comercial

Não cometa o pecado capital de usar o Instagram para negócios em uma conta pessoal. Sim, mesmo empresas estabelecidas caem nesse erro. Acontece que só com o perfil comercial você consegue:

  • acessar métricas em tempo real sobre o desempenho dos seus Stories e publicações;
  • ver informações sobre seus seguidores e como eles interagem com os seus posts;
  • adicionar informações da empresa, como horário de funcionamento, localização e número de telefone de uma forma profissional.

Domínio sobre os recursos da rede

O Instagram é uma rede bem simples e intuitiva, mas não confunda isso com falta de recursos e ferramentas. São tantos que você pode até se perder. Por isso, é muito importante tirar tempo para dominar a rede como um todo. Você pode fazer isso baixando nossos guias sobre a rede social.

Sem isso, você vai gastar muito tempo para fazer um trabalho de qualidade inferior em todos os sentidos: nos posts, nos Stories, no direct, nos vídeos e nos anúncios.

Regularidade de posts

regularidade é tão importante que nem deveria ser mencionada aqui, mas como ela continua sendo um dos principais problemas da maioria das empresas, aqui estamos nós.

Sem regularidade nos posts, o público não vai confiar na sua marca como autoridade, nem se lembrar dela a ponto de se importar com suas publicações.

Num cenário assim, não existe engajamento e nem geração de leads de forma contínua.

9 formas práticas de gerar leads com o seu perfil do Instagram

Por fim, é hora de aprender na prática o que você pode fazer para otimizar seu perfil e equipá-lo para gerar leads de forma constante.

Antes de partir para as dicas, lembre-se: as redes sociais mudam e evoluem com muita rapidez. Por isso, continue atento às novidades para não correr o risco de aplicar táticas ultrapassadas.

Veja, a seguir, as dicas que você pode (e deve) colocar em prática, o quanto antes.

1. Aproveite o link da bio

O link da bio é a sua forma mais direta de colocar seu público em contato com algum canal exclusivo do seu negócio, como um site, blog ou landing page.

Bio do Instagram da Rock Content

Antes de ferramentas como o Stories e o IGTV, o link da bio era o único que você poderia colocar no perfil e realmente usar para direcionar tráfego dessa forma.

Por isso, não deixe esse espaço passar batido sem o seu melhor link. Para melhorar ainda mais suas chances, aqui vão duas dicas extras:

  1. Crie uma descrição bacana para a bio, que chame atenção e faça a pessoa querer saber mais.
  2. Use uma ferramenta como o Linktree, que permite colocar vários links em apenas um e otimizar esse canal.

2. Humanize sua marca com o Stories

Marcas que sabem como usar bem o Stories engajam muito bem com seus seguidores e conseguem até transformá-los em verdadeiros fãs. Isso porque o Instagram oferece muitas ferramentas que facilitam isso.

Você pode fazer enquetes, mostrar vídeos curtos, marcar posts de seguidores e mencionar os perfis deles com algum tipo de mensagem legal, publicar fotos com filtros engraçados e mais uma série de ações.

Enquete feita no Instagram da Rock Content

Pode parecer que não, mas tudo isso cria identificação e gera empatia, assim os seguidores passarão a confiar mais na sua empresa. Isso facilita bastante geração de leads.

3. Conte histórias reais em seus posts

Uma das melhores formas de engajar seu público é por contar histórias reais, que causam impacto com as pessoas. Essas histórias podem ser de algum funcionário, a história da empresa, dos fundadores ou até mesmo de clientes.

Depoimento de funcionário da Rock Content

Elas podem ser engraçadas ou emocionantes, como você preferir. Apenas faça do seu perfil uma fonte de informações originais e motivadoras. Isso colocará sua marca em posição de destaque em relação às outras que focam somente em vendas e promoções.

Como isso ajuda na geração de leads? Pessoas gostam de comprar de outras pessoas. Quanto mais próxima sua marca for dos seguidores, maior a chance de eles se tornarem leads e, depois, clientes.

4. Crie anúncios com o Instagram Ads

Se você já criou anúncios para o Facebook, vai gostar de saber que a plataforma é integrada com os anúncios do Instagram Ads.

Ou seja, você poderá usar a mesma interface, simples e completa, para criar seus anúncios do Insta também.

Essa é uma ótima opção porque permite segmentar o público com precisão e criar campanhas de geração de leads com ótimo custo-benefício. 

Uma boa alternativa é criar campanhas de retargeting, ou seja, anúncios que alcançam apenas as pessoas que já acessaram seu site ou perfis sociais antes.

Essas pessoas possivelmente têm maior interessa na compra do que aquelas que nunca ouviram falar da sua empresa, então vale a pena começar por elas ao investir em anúncios pagos.

5. Faça parcerias com influenciadores

Influenciadores digitais são pessoas populares em determinado segmento, que têm o poder de influenciar as decisões e opiniões de seus seguidores. 

Exemplo de parceria com influenciadores digitais

Por isso, pode ser uma boa opção formar parcerias com profissionais da sua área que se encaixem nesse perfil de autoridade para que eles ajudem na sua geração de leads.

Se você não conhece nenhum influenciador, pode pesquisar em plataformas próprias para isso ou buscar parcerias com agências especializadas em marketing de influenciadores.

Algumas das mais conhecidas são:

Uma dica importante quando o assunto é buscar influenciadores: busque os que forem mais relevantes para a sua persona, não necessariamente os que forem mais famosos na internet. Segmentação é tudo.

6. Use tags com preços em suas fotos de produtos

Você com certeza já se pegou navegando pela rede para encontrar produtos interessantes, que despertaram curiosidade e desejo.

Se, em algum desses casos, o produto tinha uma tag de preço, o seu impulso pela compra pode ter sido ainda mais aguçado.

Pois o mesmo pode acontecer com os clientes que se sentem atraídos a um dos seus produtos. Colocar tags de preço é uma das formas mais fáceis de levá-lo à compra.

Tag de preço em foto do perfil Cícero

Nesse caso, pode ser que você até pule a etapa de gerar um lead e feche a venda na hora.

E mesmo que a pessoa decida não comprar no momento, é mais fácil se cadastrar em alguma lista de e-mails para continuar recebendo suas novidades e comprar no futuro próximo.

7. Use hashtags com sabedoria

A hashtag é quase uma regra das redes sociais, mas o seu uso não é meramente estético. Ela tem o seu papel funcional, que pode ajudar a espalhar o seu conteúdo, bem mais do que você imagina.

Acontece que as hashtags servem como filtros de assuntos. Ou seja, se você publicar algo com a hashtag #marketingdigital, a sua publicação se juntará a todas as outras que usaram a mesma tag.

Assim que alguém pesquisar esse assunto na busca da rede, seu post estará entre os resultados. Então, vale a pena usar hashtags para aumentar a exposição e o alcance.

Apenas faça isso com sabedoria: use apenas tags que se relacionam com o assunto do post e com o público que você deseja alcançar.

Uso de hashtag em conteúdo da Rock Content

8. Faça CTAs no texto dos seus posts

O texto dos posts pode passar despercebido, já que o Instagram é uma rede altamente visual. Mas não fazer boas legendas seria um grande erro. Encare esses curtos trechos de texto como um espaço para CTAs de alto impacto.

Convide os usuários a comentar, se engajar com a marca, ou clicar no link da bio para receber alguma oferta (que os transforme em leads, de preferência).

CTA em post no Instagram da Rock

Esse tipo de ação é simples e rápida, mas pode contribuir para melhorar os resultados da estratégia como um todo.

Aliás, é importante destacar que não são apenas as grandes ações que farão a diferença, mas também a forma como você vai aproveitar os pequenos recursos oferecidos pela rede social.

9. Use o IGTV

IGTVé a plataforma de vídeos do Instagram, que foi criada para competir de igual para igual com o Youtube e se firmar como referência em audiovisual.

IGTV da Rock Content

Para conseguir essa difícil missão, o Instagram preferiu se diferenciar do Youtube, em vez de imitá-lo. Os vídeos na plataforma podem ter até 10 minutos (1 hora para contas verificadas).

Além disso, o foco da rede está em produções profissionais, de excelente qualidade, para engajar os usuários de forma completa.

Se a sua empresa investe com seriedade na produção de vídeos, está mais do que na hora de usar o IGTV.

Para ajudar, ele permite usar links na descrição, a fim de direcionar tráfego de um vídeo direto para landing pages ou para o seu blog.

Gerar leads com o Instagram pode ser mais fácil do que você imagina. Mas, para isso, é essencial que você tenha uma estratégia sólida e muita disciplina ao aplicá-la.

Comece pelo básico, torne seu perfil empresarial e domine a ferramenta como um todo. Depois é só partir para as dicas que acabamos de ver.

 

Topic Cluster ou conteúdo pilar – maneira inteligente de organizar conteúdo do seu blog

O site da sua empresa quase que obrigatoriamente precisa oferecer um blog com conteúdo de alta qualidade. Até meados dos anos 2000 muitos teóricos da comunicação afirmavam que os blogs não teriam futuro, pois na visão deles, as pessoas não teriam tempo para compartilhar textos, imagens e ideias.

Estavam todos enganados. Hoje você encontra blogs para praticamente todos os assuntos, como política, viagens, negócios, saúde, moda, entre outros.

Analistas de marketing digital perceberam que ter um blog corporativo traria grandes vantagens, pois as pessoas gostam de consumir informação para tirar dúvidas.

Ganhou ainda mais importância com as exigências dos buscadores, como Google, quanto a oferta de conteúdo de qualidade, a abrangência de palavras-chave de dúvidas por parte dos usuários e a capacidade de um site oferecer com certa frequência conteúdo de interesse da audiência. Com o Inbound Marketing então, bem, aí os blogs se consolidam definitivamente como uma das principais fontes de informação para os usuários e atração de visitantes qualificados para os sites das empresas, gerando assim mais negócios.

As mídias sociais, como Twitter, Facebook e LinkedIn, consolidam como a informação se tornou ainda mais importante. Os conteúdos postados nos blogs são os mais compartilhados, junto a reportagens jornalísticas, para impactar audiências.

A necessidade de ter blog corporativo fez gerar conteúdo a todo custo

Cada vez mais analistas de marketing e claro, os analistas de SEO, perceberam que não ter um blog nas estratégias digitais seria quase um suicídio.

Nas estratégias de SEO, para abranger intenções de buscas diversas de dúvidas dos usuários e para oferta de conteúdo de qualidade, passou a ser crucial qualquer negócio online ter um blog. Tão importante que até mesmo departamentos comerciais passaram a utilizar os conteúdos dos blogs para tirarem dúvidas junto ao cliente. Não se trata só de informação, mas de relacionados confiáveis entre as empresas e clientes.

O problema é que essa necessidade para atender SEO, Inbound Marketing, o comercial e tudo mais das estratégias digitais, fazem com que muitas empresas postem conteúdos sem planejamento, pensando apenas em palavras-chave e escrever o que acha que “dá na telha”, e muitas vezes pensam em metas de postar uma postagem por semana, por exemplo.

O resultado disso é que ao longo do tempo o blog se torne um verdadeiro depósito de conteúdo de baixa qualidade, sem assuntos relacionados, escritos à toque de caixa. Do que adianta escrever ao vento?

Por mais que analista de SEO consiga bons posicionamentos para algumas postagens, sem organização e planejamento de pautas o negócio não vai a lugar algum.

Como ter um blog estratégico?

Chamo de blog estratégico quando é capaz das seguintes proezas:

  1. A definição correta do público-alvo
  2. Ter objetivos claros sobre quais resultados deseja obter com o blog. Aumentar leads? Aumentar o tráfego qualificado para o site da empresa via blog? Aumentar as vendas em quantos por cento?
  3. Ter um bom planejamento de pautas que consiga priorizar as reais necessidades do público-alvo
  4. Pautas com temas que atingem também as intenções de buscas dos usuários, visando o tráfego qualificado
  5. Produção de conteúdos que sejam relacionados, que tratam de um mesma tema para assuntos diversos, e é aí que vamos falar sobre Topic Cluster
  6. Vídeos oferecem maiores chances de conversão e relacionamento qualitativo com o público-alvo. Pautas de blogs podem se tornar vídeos ou vice-versa.

Entenda definitivamente o que é Topic Cluster

Quando ouvi falar pela primeira no assunto, logo imaginei:

“Uau, isso é a maneira mais óbvia que existe para organizar conteúdo do blog, que as postagens se interajam entre si e oferta a estrutura de qualidade para os buscadores”.

Como funciona Topic Cluster

Ao invés e sair postando conteúdos somente baseado em pesquisas em larga escala de palavras-chave, focando apenas em alguns assuntos de acordo com volume de buscas de tais palavras-chave, o Topic Cluster, ou Conteúdo Pilar, proporciona uma maneira muito mais inteligente de planejar conteúdos e contribuir com SEO.

Ilustração sobre como funciona Topic ClusterIlustração: Hubspot

Funciona assim:

Etapa 1 – defina um tema central

Lembra que mencionei sobre a definição do público-alvo e ter objetivos claros sobre o blog? Pois bem, sabendo de tais informações fica fácil entender quais são as reais dores da audiência que precisa atingir. Comece por aí.

Suponhamos que a sua empresa vende fantasias para crianças e que em uma das suas análises concluiu que os papais e mamães têm dúvidas sobre quais personagens são melhores para uma festa de Halloween. Seria o Drácula? Seria um bruxo ou bruxa? Este é um exemplo de “dor” dos seus clientes.

Logo, o tema poderia ser “fantasias para Halloween”, e deste tema abre margem para que pesquisas de palavras-chave apontem quais assuntos abordar sobre este tema central.

Etapa 2 – Descubra os assuntos relacionados ao tema

Utilizando o recurso de agrupamentos da ferramenta de pesquisa de palavras-chave da SEM Rush podemos descobrir vários assuntos sobre o tema definido. Exemplos:

Exemplo de pesquisa de palavras-chave com a SEM Rush

Exemplo de pesquisa de palavras-chave com a SEM Rush

Exemplo de pesquisa de palavras-chave com a SEM Rush

Perceba que nos exemplos acima surgem ideias diferentes de assuntos, que praticamente nos pautam.

Etapa 3 – produza um artigo para cada assunto

Para cada agrupamento podemos então produzir artigos para o blog, que serão os assuntos do tema.

→ Ideias fantasias Halloween

Uma postagem com várias ideias de fantasias seria perfeita. Com bastante imagens, vídeos de moda de fantasias, ideias para cada sazonalidade, como Carnaval, Natal, aniversários, etc.

→ Fantasia de Halloween vampira

Que ótima pauta hein! Há diversos personagens de vampiros, estilos de fantasias, acessórios, como capas, dentaduras e maquiagens. Poderia criar uma postagem que abordasse tudo isso e muito mais, esclarecedora com ideias de fantasias de vampiras.

→ Fantasia Halloween zumbi

Outra ótima oportunidade para postar. Imagine um artigo que conte histórias de zumbis, séries, como fazer maquiagem e claro, indicar as fantasias ideais.

Compreende sobre o que são os assuntos do tema?

Estes são apenas três exemplos, é claro que na maioria das vezes os assuntos podem chegar a dezenas e mais dezenas de possibilidades. O importante é explorar as oportunidades que as pesquisas de palavras-chave nos mostram.

Ao final da rodada de artigos, que pode ser definido por trimestre ou por quantidade mínima de conteúdos, chega a hora de criar um conteúdo pilar.

Etapa 4 – O conteúdo pilar

É um artigo aprofundado do tema, que resume todos os assuntos já postados em única postagem, abrangendo todas as palavras-chave tratadas.

Logicamente não é copiar trechos das postagens dos assuntos, mas sim resumir, construir um super artigo baseado em cada assunto.

O conteúdo pilar é ideal a otimizar para as palavras mais competitivas, desde que realmente atraia visitas qualitativas.

Este tipo de conteúdo geralmente atrai usuários mais exigentes por ser um texto mais longo, requer maior tempo para leitura, por isso que deve ser cativante, de alta qualidade, que prenda a atenção do usuário.

O marketing de conteúdo tornou-se uma parte essencial de qualquer estratégia de marketing digital bem-sucedida. No entanto, muitos profissionais de conteúdo ainda não têm certeza da melhor maneira de criar conteúdo de alta qualidade. Tendo realizado pesquisas com especialistas de todo o mundo e formalizado o fluxo de trabalho padrão de profissionais de marketing de conteúdo, nós da SEMrush podemos afirmar…

Etapa 5 – Links internos

O conteúdo pilar deverá ter link para cada postagem de assunto e o mesmo deve ocorrer com cada postagem de assunto, tendo alguma referência de link para o conteúdo pilar.

Essa troca de links permite que os buscadores compreendam o quanto autoridade o blog pode ser sobre temas de interesse do negócio. Também fica com uma estrutura lógica de organização do blog.

Se torna uma “comunicação poderosa” entre as postagens.

Pense na produção de vídeos

O Youtube é o segundo maior buscador do mundo. Pesquisas apontam que os usuários brasileiros consomem mais tempo de conteúdo no Youtube do que na TV aberta, acredita?

Essa alta procura por vídeos gera oportunidades de atração de usuários para o seu negócio. Alinhar isso com Topic Cluster potencializa fortemente as estratégias digitais.

Sei que fazer vídeo não é fácil, e olha que não precisa de produção profissional. Mas é importante.

Cada assunto da estratégia pode gerar um vídeo e o conteúdo pilar então pode gerar um vídeo ainda melhor, mais persuasivo e que melhore a taxa de rejeição do seu site ou blog.

A velha frase que uma imagem vale mais do que mil palavras, posso afirmar que um vídeo vale mais do que 10 mil palavras. Portanto, se quer realmente impactar a sua audiência e melhorar os negócios, pense na possibilidade de criar e otimizar vídeos.

Por que tanto cuidado na produção de conteúdo pode dar resultados?

Porque conteúdo é rei. Sim, já dizia o Google quando o algoritmo do buscador passou por uma das maiores reformulações. Houve um tempo que SEO era baseado boa parte por otimizações técnicas, como ajustes no HTML, meta names, entre outros. Associado a isso, a produção de conteúdo era mais voltada para inserção e densidade de palavras-chave. Há quem acreditava que quanto mais palavras-chave no texto, melhor seria classificado no Google. De fato, funcionava, mas hoje, não mais.

Os tempos mudam, não é mesmo? O maior buscador do planeta conseguiu se aperfeiçoar e priorizar conteúdo de qualidade. Com o aumento da concorrência, uma das melhores estratégias adotadas é usar blogs com oferta de conteúdo cativante e que realmente seja útil para o público-alvo.

O Topic Cluster melhora na organização do blog, planeja melhor quais assuntos tratar para melhor atender as necessidades do público-alvo, contribui para ter qualidade de texto e do blog, o que direta ou indiretamente melhora posições nos buscadores e assim o tráfego.

Conte com ajuda de especialistas para este processo

Anúncios Google, SEO, Inbound Marketing, conteúdo estratégico, otimização de vídeos, Topic Cluster, pesquisa e análise de palavras-chave, pautas estratégicas para o blog, ufa… é muita coisa, certo? O empresário não tem tempo para planejar e executar tudo o que o marketing digital tem a oferecer. Por isso, fica a dica de contar com profissional de SEO e produtor de conteúdo para fazer tudo acontecer.